'Todo mundo começou a reclamar que tava ardendo, que tava queimando', relata calouro ferido em trote da UFPR

Ao menos vinte estudantes de medicina veterinária do campus de Palotina, no oeste do estado, tiveram queimaduras aos serem expostos por veteranos a líquido ainda não identificado. Aluno de 19 anos sofreu queimaduras na nuca e nas costas Reprodução Um dos calouros vítima de trote realizado por veteranos do curso de medicina veterinária do campus de Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que terminou com cerca de vinte estudantes queimados, contou nesta quinta-feira (31) ao g1 Paraná que ainda está em choque. O aluno, de 19 anos, afirma que "tudo aconteceu muito rápido". Segundo ele, os veteranos que participaram do trote falaram que "seria de boa, que não ia acontecer nada". Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram As vítimas sofreram queimaduras de primeiro e segundo grau por conta de um líquido derramado sobre eles. O produto está sendo periciado pela polícia e estava em embalagens de creolina. Produto derramado nos calouros estava em embalagem de creolina Reprodução O calouro que conversou com o g1 sofreu queimaduras na nuca e nas costas. Nas fotos é possível ver as queimaduras onde o líquido atingiu a pele do jovem. Segundo ele, os calouros perguntaram no momento do trote se o produto não queimava. Os veteranos, relata, continuaram mesmo assim. "Depois que eles passaram [o produto], todo mundo começou a reclamar que tava ardendo, que tava queimando, eles começaram a jogar água, o que não adiantou muita coisa", conta o calouro. Apesar do episódio, o estudante disse que pretende prosseguir com os estudos e cobra que os responsáveis sejam punidos e entendam a gravidade da situação. Suspeitos presos Nesta quinta, quatro estudantes de medicina veterinária foram presos em flagrante suspeitos dos crimes de lesão corporal grave e constrangimento ilegal. A Polícia Civil investiga o caso e afirma que também serão apurados os crimes de tortura e cárcere privado, caso os calouros tenham sido obrigados a permanecer em algum local, por exemplo A UFPR informou que abriu um processo para apurar a responsabilidade pelo fato e que a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis está trabalhando no acolhimento das vítimas, junto com a direção do setor Palotina. Veja no vídeo abaixo como foi o trote: Cerca de 20 alunos apresentam queimaduras após trote realizado na UFPR de Palotina VÍDEOS: os mais acessados do g1 PR Veja mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.

'Todo mundo começou a reclamar que tava ardendo, que tava queimando', relata calouro ferido em trote da UFPR

Ao menos vinte estudantes de medicina veterinária do campus de Palotina, no oeste do estado, tiveram queimaduras aos serem expostos por veteranos a líquido ainda não identificado. Aluno de 19 anos sofreu queimaduras na nuca e nas costas Reprodução Um dos calouros vítima de trote realizado por veteranos do curso de medicina veterinária do campus de Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que terminou com cerca de vinte estudantes queimados, contou nesta quinta-feira (31) ao g1 Paraná que ainda está em choque. O aluno, de 19 anos, afirma que "tudo aconteceu muito rápido". Segundo ele, os veteranos que participaram do trote falaram que "seria de boa, que não ia acontecer nada". Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram As vítimas sofreram queimaduras de primeiro e segundo grau por conta de um líquido derramado sobre eles. O produto está sendo periciado pela polícia e estava em embalagens de creolina. Produto derramado nos calouros estava em embalagem de creolina Reprodução O calouro que conversou com o g1 sofreu queimaduras na nuca e nas costas. Nas fotos é possível ver as queimaduras onde o líquido atingiu a pele do jovem. Segundo ele, os calouros perguntaram no momento do trote se o produto não queimava. Os veteranos, relata, continuaram mesmo assim. "Depois que eles passaram [o produto], todo mundo começou a reclamar que tava ardendo, que tava queimando, eles começaram a jogar água, o que não adiantou muita coisa", conta o calouro. Apesar do episódio, o estudante disse que pretende prosseguir com os estudos e cobra que os responsáveis sejam punidos e entendam a gravidade da situação. Suspeitos presos Nesta quinta, quatro estudantes de medicina veterinária foram presos em flagrante suspeitos dos crimes de lesão corporal grave e constrangimento ilegal. A Polícia Civil investiga o caso e afirma que também serão apurados os crimes de tortura e cárcere privado, caso os calouros tenham sido obrigados a permanecer em algum local, por exemplo A UFPR informou que abriu um processo para apurar a responsabilidade pelo fato e que a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis está trabalhando no acolhimento das vítimas, junto com a direção do setor Palotina. Veja no vídeo abaixo como foi o trote: Cerca de 20 alunos apresentam queimaduras após trote realizado na UFPR de Palotina VÍDEOS: os mais acessados do g1 PR Veja mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.