Talibãs proíbem TikTok e jogo PUBG no Afeganistão

Populares entre os jovens afegãos, ambos os aplicativos são acusados de 'perverterem' a juventude pelo governo talibã. Ícone do aplicativo TikTok. AP Photo/Kiichiro Sato O governo talibã ordenou nesta quinta-feira (21) a proibição no Afeganistão da rede social TikTok e do videogame PlayerUnknown's Battlegrounds (PUBG). Especialmente populares entre os jovens afegãos, ambos os aplicativos são acusados de "perverterem" a juventude. "A geração jovem está se perdendo" com estes aplicativos, justificou o governo em um comunicado, acrescentando que o Ministério das Telecomunicações será responsável por colocar a proibição em vigor. Ainda conforme a nota oficial, o ministério também garantir que as redes de televisão não vão transmitir "conteúdo imoral", embora, no momento, os canais se limitem a exibir informações e programas religiosos. Desde seu retorno ao poder em agosto passado, os talibãs já proibiram músicas e séries de televisão estrangeiras, ou que incluam mulheres. O governo anterior pró-Ocidente já havia tentado banir o PUBG, um jogo de luta de sobrevivência "multiplayer" (ou seja, com vários jogadores), comparado ao filme pós-apocalíptico "Jogos Vorazes". Pouco mais de 9 milhões de afegãos, de uma população de mais de 38 milhões de pessoas, têm acesso à Internet, segundo dados divulgados em janeiro passado pelo site especializado DataReportal. Deste total, em torno de 4 milhões seriam usuários de redes sociais. A mais popular no país é o Facebook. O aplicativo chinês TikTok já foi proibido duas vezes no Paquistão por divulgar conteúdo considerado "inapropriado". Em seu governo anterior, os talibãs proibiram a televisão, o cinema, a fotografia, a pipa e qualquer outro tipo de entretenimento, considerados imorais.

Talibãs proíbem TikTok e jogo PUBG no Afeganistão

Populares entre os jovens afegãos, ambos os aplicativos são acusados de 'perverterem' a juventude pelo governo talibã. Ícone do aplicativo TikTok. AP Photo/Kiichiro Sato O governo talibã ordenou nesta quinta-feira (21) a proibição no Afeganistão da rede social TikTok e do videogame PlayerUnknown's Battlegrounds (PUBG). Especialmente populares entre os jovens afegãos, ambos os aplicativos são acusados de "perverterem" a juventude. "A geração jovem está se perdendo" com estes aplicativos, justificou o governo em um comunicado, acrescentando que o Ministério das Telecomunicações será responsável por colocar a proibição em vigor. Ainda conforme a nota oficial, o ministério também garantir que as redes de televisão não vão transmitir "conteúdo imoral", embora, no momento, os canais se limitem a exibir informações e programas religiosos. Desde seu retorno ao poder em agosto passado, os talibãs já proibiram músicas e séries de televisão estrangeiras, ou que incluam mulheres. O governo anterior pró-Ocidente já havia tentado banir o PUBG, um jogo de luta de sobrevivência "multiplayer" (ou seja, com vários jogadores), comparado ao filme pós-apocalíptico "Jogos Vorazes". Pouco mais de 9 milhões de afegãos, de uma população de mais de 38 milhões de pessoas, têm acesso à Internet, segundo dados divulgados em janeiro passado pelo site especializado DataReportal. Deste total, em torno de 4 milhões seriam usuários de redes sociais. A mais popular no país é o Facebook. O aplicativo chinês TikTok já foi proibido duas vezes no Paquistão por divulgar conteúdo considerado "inapropriado". Em seu governo anterior, os talibãs proibiram a televisão, o cinema, a fotografia, a pipa e qualquer outro tipo de entretenimento, considerados imorais.