SpaceX vai lançar dois satélites brasileiros nesta quarta

Satélites serão lançados por meio do foguete Falcon 9, da SpaceX SpaceX/Reprodução Twitter A SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk, vai levar ao espaço dois satélites brasileiros. O lançamento está marcado para esta quarta-feira (25), às 15h25, no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. A Força Aérea Brasileira (FAB) acompanhará o evento de Brasília. Os satélites possuem dimensões de 1 m³ e pesam 100 kg cada. São cinco painéis solares com 3.000 W de potência. Os equipamentos foram batizados de Carcará I e Carcará II. De acordo com a empresa norte-americana, os satélites-radar de sensoriamento remoto (SRR), que serão lançados por meio do foguete Falcon 9, são de baixa órbita, uma especialidade da SpaceX, e terão capacidade de visualização entre as nuvens, predominantes na Amazônia ocidental na maior parte do tempo. Os satélites têm maior facilidade para identificar metais com precisão, o que poderá colaborar com a fiscalização de garimpos ilegais. Como as imagens captadas não são processadas em tempo real, os equipamentos serão usados para definir estratégias de inteligência. Veja também Brasília Em encontro, Bolsonaro chama Elon Musk de 'mito da liberdade'  Tecnologia e Ciência Elon Musk anuncia suspensão temporária de acordo para comprar o Twitter Tecnologia e Ciência SpaceX lança com sucesso a primeira missão privada para a Estação Espacial Internacional O projeto, chamado de Lessonia, consiste na aquisição de uma constelação de satélites de órbita baixa. De emprego dual, visam atender às necessidades operacionais das Forças Armadas, do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia, bem como de agências governamentais. O sistema de imageamento do projeto utiliza um sensor ativo de detecção capaz de gerar imagens de altíssima resolução, que podem ser obtidas a qualquer hora do dia ou da noite, independentemente das condições meteorológicas, uma vez que o sinal emitido atravessa as nuvens. Dessa forma é possível realizar o monitoramento continuado de áreas de interesse do Brasil, segundo a FAB. As imagens captadas serão utilizadas em apoio ao combate ao tráfico de drogas e à mineração ilegal, atualização de produtos cartográficos, determinação da navegabilidade dos rios, visualização de queimadas, monitoramento de desastres naturais, vigilância da Zona Econômica Exclusiva e apoio às operações de vigilância e controle das fronteiras. "Buscando cumprir plenamente o programa estratégico de sistemas espaciais, no futuro, também está prevista a implantação de um conjunto de satélites, de fabricação nacional, para obtenção de imagens óticas. Ele complementará a capacidade do Ministério da Defesa de imagear o território nacional, atendendo, assim, a todas as demandas", diz a força.     O presidente Jair Bolsonaro e o empresário Elon Musk Reprodução Musk e Bolsonaro     Recentemente, o dono da SpaceX se reuniu com o presidente da República, Jair Bolsonaro. Em encontro realizado na última sexta-feira (20) em um hotel de luxo no interior de São Paulo, Bolsonaro chamou Musk de "mito da liberdade" e disse que o anúncio da compra do Twitter pelo bilionário, suspensa de forma temporária, é um "sopro de esperança". "O mais importante da presença dele [Elon Musk] é algo que é imaterial. Hoje em dia, poderíamos chamá-lo de mito da liberdade. É aquilo que nos fará falta para qualquer coisa que porventura possamos pensar no futuro", disse o presidente. "E um exemplo disso, que ele nos deu há poucos dias, quando se anunciou a compra do Twitter, para nós aqui foi como um sopro de esperança", continuou. “O mundo todo passa por pessoas que têm a vontade de roubar a liberdade de todos nós, e a liberdade é a semente do futuro." Na ocasião, o empresário, que é o homem mais rico do mundo, anunciou que pretende usar seus satélites para conectar 19 mil escolas na Amazônia e monitorar o meio ambiente na região. "Superanimado por estar no Brasil para o lançamento do Starlink para 19.000 escolas desconectadas em áreas rurais e monitoramento ambiental da Amazônia", escreveu Musk nas redes sociais. A Starlink é uma empresa de tecnologia via satélite de alta velocidade da SpaceX, uma de suas companhias, e possui mais de 2.000 satélites lançados, cobrindo quase todo o planeta. A vinda de Musk ao Brasil foi costurada por Fábio Faria, ministro das Comunicações. No fim do ano passado, ambos se encontraram para discutir eventual parceria entre a SpaceX e o governo brasileiro para conectar escol

SpaceX vai lançar dois satélites brasileiros nesta quarta
Satélites serão lançados por meio do foguete Falcon 9, da SpaceX
Satélites serão lançados por meio do foguete Falcon 9, da SpaceX SpaceX/Reprodução Twitter

A SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk, vai levar ao espaço dois satélites brasileiros. O lançamento está marcado para esta quarta-feira (25), às 15h25, no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. A Força Aérea Brasileira (FAB) acompanhará o evento de Brasília.

Os satélites possuem dimensões de 1 m³ e pesam 100 kg cada. São cinco painéis solares com 3.000 W de potência. Os equipamentos foram batizados de Carcará I e Carcará II.

De acordo com a empresa norte-americana, os satélites-radar de sensoriamento remoto (SRR), que serão lançados por meio do foguete Falcon 9, são de baixa órbita, uma especialidade da SpaceX, e terão capacidade de visualização entre as nuvens, predominantes na Amazônia ocidental na maior parte do tempo.

Os satélites têm maior facilidade para identificar metais com precisão, o que poderá colaborar com a fiscalização de garimpos ilegais. Como as imagens captadas não são processadas em tempo real, os equipamentos serão usados para definir estratégias de inteligência.

O projeto, chamado de Lessonia, consiste na aquisição de uma constelação de satélites de órbita baixa. De emprego dual, visam atender às necessidades operacionais das Forças Armadas, do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia, bem como de agências governamentais.

O sistema de imageamento do projeto utiliza um sensor ativo de detecção capaz de gerar imagens de altíssima resolução, que podem ser obtidas a qualquer hora do dia ou da noite, independentemente das condições meteorológicas, uma vez que o sinal emitido atravessa as nuvens. Dessa forma é possível realizar o monitoramento continuado de áreas de interesse do Brasil, segundo a FAB.

As imagens captadas serão utilizadas em apoio ao combate ao tráfico de drogas e à mineração ilegal, atualização de produtos cartográficos, determinação da navegabilidade dos rios, visualização de queimadas, monitoramento de desastres naturais, vigilância da Zona Econômica Exclusiva e apoio às operações de vigilância e controle das fronteiras.

"Buscando cumprir plenamente o programa estratégico de sistemas espaciais, no futuro, também está prevista a implantação de um conjunto de satélites, de fabricação nacional, para obtenção de imagens óticas. Ele complementará a capacidade do Ministério da Defesa de imagear o território nacional, atendendo, assim, a todas as demandas", diz a força.

 

 

O presidente Jair Bolsonaro e o empresário Elon Musk
O presidente Jair Bolsonaro e o empresário Elon Musk Reprodução
Musk e Bolsonaro

 

 

Recentemente, o dono da SpaceX se reuniu com o presidente da República, Jair Bolsonaro. Em encontro realizado na última sexta-feira (20) em um hotel de luxo no interior de São Paulo, Bolsonaro chamou Musk de "mito da liberdade" e disse que o anúncio da compra do Twitter pelo bilionário, suspensa de forma temporária, é um "sopro de esperança".

"O mais importante da presença dele [Elon Musk] é algo que é imaterial. Hoje em dia, poderíamos chamá-lo de mito da liberdade. É aquilo que nos fará falta para qualquer coisa que porventura possamos pensar no futuro", disse o presidente.

"E um exemplo disso, que ele nos deu há poucos dias, quando se anunciou a compra do Twitter, para nós aqui foi como um sopro de esperança", continuou. “O mundo todo passa por pessoas que têm a vontade de roubar a liberdade de todos nós, e a liberdade é a semente do futuro."

Na ocasião, o empresário, que é o homem mais rico do mundo, anunciou que pretende usar seus satélites para conectar 19 mil escolas na Amazônia e monitorar o meio ambiente na região. "Superanimado por estar no Brasil para o lançamento do Starlink para 19.000 escolas desconectadas em áreas rurais e monitoramento ambiental da Amazônia", escreveu Musk nas redes sociais.

A Starlink é uma empresa de tecnologia via satélite de alta velocidade da SpaceX, uma de suas companhias, e possui mais de 2.000 satélites lançados, cobrindo quase todo o planeta.

A vinda de Musk ao Brasil foi costurada por Fábio Faria, ministro das Comunicações. No fim do ano passado, ambos se encontraram para discutir eventual parceria entre a SpaceX e o governo brasileiro para conectar escolas em áreas rurais e fortalecer a proteção da Amazônia.