RN registra chuvas com mais de 120 milímetros e intensidade de raios 'nunca antes vista' no litoral

Maiores volumes de água foram registrados nas regiões Oeste e Central potiguar. Vídeo mostra raio durante chuva em Parnamirim, na Grande Natal As chuvas que caíram no Rio Grande do Norte entre a manhã de terça-feira (24) e às 7h desta quarta-feira (25) chegaram a acumular mais de 120 milímetros de água em Mossoró, no Oeste potiguar, e Afonso Bezerra, na região Central. Pelo menos seis cidades potiguares registraram precipitações com mais de 100 milímetros. Em Natal e outras cidades do Litoral, ocorreu uma série de raios, com "intensidade nunca antes vista para a região", segundo as palavras de Gilmar Bristot, chefe do setor de Meteorologia da Empresa de Pesquisas Agropecuárias do RN (Emparn). Um vídeo mostra a queda de um raio no bairro Cohabinal, em Parnamirim (veja acima). Raio cai em Parnamirim, na Grande Natal Reprodução O grande volume de água causou estragos em vários municípios - principalmente alagamentos. Em Natal, moradores do bairro Igapó registraram um banheiro químico sendo arrastado pela enxurrada em uma rua. Banheiro químico é arrastado em enxurrada provocada pela chuva em Natal A Emparn registrou os maiores volumes de água em Mossoró, no Oeste potiguar, onde os aparelhos registraram 127,5 mm de água. A cidade foi seguida por Afonso Bezerra (124,6 mm) e Angicos (115 mm), ambas na região Central, e Ielmo Marinho (104 mm), no Agreste. Também houve chuvas acima de 100 mm em Ipanguaçu (102 mm) e Carnaubais (101,6 mm), no Oeste. Pessoas andam com água na altura da cintura em Assú Reprodução Raios Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, a ocorrência de raios foi incomum principalmente, porque o estado já vinha de um dia de chuvas, na segunda-feira (23) e tinha a atmosfera mais fria - o que não é um cenário ideal para ocorrência de raios. "Na faixa litorânea Leste do Nordeste tivemos ocorrência de muita chuva, acompanhada de trovoadas e descargas elétricas de uma intensidade nunca vista antes para essa região. Isso, decorrente das condições do oceano atlântico com temperaturas bem aquecidas, librando muito umidade", explicou. "O fato interessante é que mesmo depois de dois dias com chuvas, atmosfera fria, nós tivemos ocorrência desse fenômenos que são as descargas elétricas, que são muito incomuns de acontecer no litoral e da forma como aconteceu", disse. Veja os vídeos mais assistidos no g1 RN

RN registra chuvas com mais de 120 milímetros e intensidade de raios 'nunca antes vista' no litoral

Maiores volumes de água foram registrados nas regiões Oeste e Central potiguar. Vídeo mostra raio durante chuva em Parnamirim, na Grande Natal As chuvas que caíram no Rio Grande do Norte entre a manhã de terça-feira (24) e às 7h desta quarta-feira (25) chegaram a acumular mais de 120 milímetros de água em Mossoró, no Oeste potiguar, e Afonso Bezerra, na região Central. Pelo menos seis cidades potiguares registraram precipitações com mais de 100 milímetros. Em Natal e outras cidades do Litoral, ocorreu uma série de raios, com "intensidade nunca antes vista para a região", segundo as palavras de Gilmar Bristot, chefe do setor de Meteorologia da Empresa de Pesquisas Agropecuárias do RN (Emparn). Um vídeo mostra a queda de um raio no bairro Cohabinal, em Parnamirim (veja acima). Raio cai em Parnamirim, na Grande Natal Reprodução O grande volume de água causou estragos em vários municípios - principalmente alagamentos. Em Natal, moradores do bairro Igapó registraram um banheiro químico sendo arrastado pela enxurrada em uma rua. Banheiro químico é arrastado em enxurrada provocada pela chuva em Natal A Emparn registrou os maiores volumes de água em Mossoró, no Oeste potiguar, onde os aparelhos registraram 127,5 mm de água. A cidade foi seguida por Afonso Bezerra (124,6 mm) e Angicos (115 mm), ambas na região Central, e Ielmo Marinho (104 mm), no Agreste. Também houve chuvas acima de 100 mm em Ipanguaçu (102 mm) e Carnaubais (101,6 mm), no Oeste. Pessoas andam com água na altura da cintura em Assú Reprodução Raios Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, a ocorrência de raios foi incomum principalmente, porque o estado já vinha de um dia de chuvas, na segunda-feira (23) e tinha a atmosfera mais fria - o que não é um cenário ideal para ocorrência de raios. "Na faixa litorânea Leste do Nordeste tivemos ocorrência de muita chuva, acompanhada de trovoadas e descargas elétricas de uma intensidade nunca vista antes para essa região. Isso, decorrente das condições do oceano atlântico com temperaturas bem aquecidas, librando muito umidade", explicou. "O fato interessante é que mesmo depois de dois dias com chuvas, atmosfera fria, nós tivemos ocorrência desse fenômenos que são as descargas elétricas, que são muito incomuns de acontecer no litoral e da forma como aconteceu", disse. Veja os vídeos mais assistidos no g1 RN