Psicóloga levada a julgamento por Johnny Depp diz que Amber Heard tem de transtornos de personalidade

Ela declarou que acompanhou a atriz por doze horas, durante dois dias, em 2021. Em sua avaliação, ela indicou que artista tem síndrome de borderline. Amber Heard e Johnny Depp no tribunal em processo por difamação em 2022 Brendan Smialowski/Pool/AFP Uma psicóloga contratada pelos advogados de Johnny Depp declarou nesta terça-feira que Amber Heard sofre de transtornos de personalidade, durante o julgamento resultante do processo de difamação movido pelo ator contra sua ex-mulher. Entenda mais sobre o caso de Johnny Depp e Amber Heard VÍDEO Defesa de Amber Heard exibe vídeo de Johnny Depp batendo portas de cozinha em tribunal Shannon Curry, psicóloga clínica e forense, afirmou que analisou pessoalmente a saúde mental de Amber por doze horas durante dois dias em dezembro de 2021. Ela estimou que a atriz, de 36 anos, sofre de transtorno de personalidade limítrofe (borderline) e de transtorno histriônico. Os advogados de Amber tentaram desacreditar o depoimento de Shannon durante o contrainterrogatório, e apontaram que os advogados de Depp a haviam contratado para depor em seu nome. Segundo a psicóloga, algumas das principais características do transtorno de personalidade limítrofe incluem "muita raiva interna e hostilidade", uma tendência a ser "moralista" e "estados de ânimo flutuantes". "Podem reagir violentamente, fisicamente", acrescentou a profissional. "Com frequência, serão abusivos com seus parceiros. É quase uma atuação." Shannon Curry, que tem experiência com veteranos de guerra dos EUA, disse que, em sua opinião, Amber não sofria de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) como resultado de uma suposta agressão doméstica. Depp, de 58 anos, negou ter agredido fisicamente Amber, e afirmou que era ela que era violenta com ele. Também depôs hoje Tara Roberts, que administrou nos últimos 15 anos uma ilha particular nas Bahamas de propriedade de Depp. Os advogados do ator pediram a ela que contasse os detalhes de uma discussão que o casal teve na ilha. "Amber lhe dizia que ele era um ator fracassado", narrou Tara. Que "ele iria morrer como um velho sozinho". A funcionária contou que Amber gritava com Depp, agarrando-o e tentando levá-lo de volta para casa. A testemunha disse que ficou preocupada com o que poderia vir a acontecer e que levou Depp para uma cafeteria, onde aplicou gelo no nariz do ator, ferido.

Psicóloga levada a julgamento por Johnny Depp diz que Amber Heard tem de transtornos de personalidade

Ela declarou que acompanhou a atriz por doze horas, durante dois dias, em 2021. Em sua avaliação, ela indicou que artista tem síndrome de borderline. Amber Heard e Johnny Depp no tribunal em processo por difamação em 2022 Brendan Smialowski/Pool/AFP Uma psicóloga contratada pelos advogados de Johnny Depp declarou nesta terça-feira que Amber Heard sofre de transtornos de personalidade, durante o julgamento resultante do processo de difamação movido pelo ator contra sua ex-mulher. Entenda mais sobre o caso de Johnny Depp e Amber Heard VÍDEO Defesa de Amber Heard exibe vídeo de Johnny Depp batendo portas de cozinha em tribunal Shannon Curry, psicóloga clínica e forense, afirmou que analisou pessoalmente a saúde mental de Amber por doze horas durante dois dias em dezembro de 2021. Ela estimou que a atriz, de 36 anos, sofre de transtorno de personalidade limítrofe (borderline) e de transtorno histriônico. Os advogados de Amber tentaram desacreditar o depoimento de Shannon durante o contrainterrogatório, e apontaram que os advogados de Depp a haviam contratado para depor em seu nome. Segundo a psicóloga, algumas das principais características do transtorno de personalidade limítrofe incluem "muita raiva interna e hostilidade", uma tendência a ser "moralista" e "estados de ânimo flutuantes". "Podem reagir violentamente, fisicamente", acrescentou a profissional. "Com frequência, serão abusivos com seus parceiros. É quase uma atuação." Shannon Curry, que tem experiência com veteranos de guerra dos EUA, disse que, em sua opinião, Amber não sofria de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) como resultado de uma suposta agressão doméstica. Depp, de 58 anos, negou ter agredido fisicamente Amber, e afirmou que era ela que era violenta com ele. Também depôs hoje Tara Roberts, que administrou nos últimos 15 anos uma ilha particular nas Bahamas de propriedade de Depp. Os advogados do ator pediram a ela que contasse os detalhes de uma discussão que o casal teve na ilha. "Amber lhe dizia que ele era um ator fracassado", narrou Tara. Que "ele iria morrer como um velho sozinho". A funcionária contou que Amber gritava com Depp, agarrando-o e tentando levá-lo de volta para casa. A testemunha disse que ficou preocupada com o que poderia vir a acontecer e que levou Depp para uma cafeteria, onde aplicou gelo no nariz do ator, ferido.