Prefeitura assina contrato para profissionais de segurança atuarem nas escolas e creches de Macapá

Mais de 140 trabalhadores foram contratados.

Prefeitura assina contrato para profissionais de segurança atuarem nas escolas e creches de Macapá

O prefeito de Macapá, Dr. Furlan, anunciou na manhã de terça-feira (5) contrato para 144 para profissionais da segurança atuarem nas escolas e creches municipais. Os trabalhadores serão lotados em 72 postos. A cerimônia aconteceu no Comando do Guarda Civil Municipal, na zona norte da capital.

 

“Hoje é um momento simbólico para anunciarmos uma decisão importante que impacta positivamente na vida de 144 vigias de Macapá. Com essa iniciativa, estamos devolvendo a esperança para a categoria. São 144 pais e mães de famílias que passam a ter uma oportunidade para sustentar sua família”, destacou o prefeito Dr. Furlan.

 

O contrato foi feito entre Prefeitura de Macapá e Cooperativa de Trabalho dos Profissionais Autônomos da Área de Segurança do Amapá – Prossegup, no valor de R$ 1,5 milhão. O documento foi assinado no dia 1º de julho e os profissionais já serão direcionados para as escolas e creches municipais.

“O retorno dos vigias era uma das principais reivindicações da classe e, hoje, estamos concretizando esse sonho. Estamos muito felizes de tê-los na educação municipal. Que vocês possam garantir a segurança das nossas crianças e servidores”, complementa o secretário municipal de Educação, Rodrigo Gomes.

 

Carmem Lúcia comemorou a contratação. “Em 2015, nós fomos tirados dos nossos postos de serviços sem explicação nenhuma, ninguém lutou pela gente. Mas agora, voltamos com força total e isso graças a um gestor que olhou por nós.”, disse emocionada a profissional.

 

Policiamento ostensivo na capital

Com o retorno da vigilância, os guardas civis que atuavam nesses locais vão realizar segurança ostensiva na capital, em conjunto com outros órgãos da segurança pública do estado. A atuação é prevista na lei federal 13.022, que estabeleceu o Estatuto Geral das Guardas Municipais, e a lei complementar 146/2022 do município.

 

O policiamento e patrulhamento será feito com viaturas, motocicletas, ônibus de videomonitoramento e arma de choque nas quatros zonas de Macapá.