Paraná tem mais de 20 locais para de doação de sangue; confira endereços por cidades

Especialistas detalham que, em hospitais, a necessidade de bolsas de sangue é constante, por isso é imprescindível a ajuda do maior número de pessoas possíveis. Veja orientações. Profissionais de saúde do Paraná alertam para importância da doação de sangue José Fernando Oura/AEN O Paraná possui, atualmente, 23 locais para doação de sangue. Segundo a Secretaria de Saúde do Paraná (SESA), em pelo menos 14 municípios, é preciso agendar o serviço antes de doar. Nas demais cidades, a doação é feita por ordem de chegada. Veja locais para doar no Paraná: Locais para doação de sangue no Paraná Importância da doação Segundo a coordenadora de enfermagem do bloco cirúrgico do Hospital Marcelino Champagnat de Curitiba, Iris Andriani, a necessidade de sangue é constante. Na ala de cirurgias em que ela trabalha, por exemplo, para procedimentos bem sucedidos, é imprescindível que o estoque de sangue esteja em dia. "Então não adianta a gente fazer uma cirurgia, ela ser bem sucedida, se teve uma perda sanguínea grande, e eu não vou conseguir repor o sangue dessa pessoa. O sangue hoje, que é doado por todos os voluntários, ele salva vidas, faz parte da cura do paciente,” explica ela. Critérios básicos para doação: Estar em boas condições de saúde Ter entre 16 e 69 anos completos (menores de idade com autorização e presença do responsável legal) Pesar no mínimo 51 Kg Estar descansado, alimentado e hidratado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação) Apresentar documento oficial com foto ( Carteira de Identidade, Carteira do Conselho Profissional, Carteira de Trabalho, Passaporte ou Carteira Nacional de Habilitação) A doação deve ser agendada pelo site da Secretaria de Saúde. Clique aqui e agende Alguns impedimentos temporários para doação: Resfriados e gripes: se houve febre, aguardar 15 dias após melhora dos sintomas. Na ausência de febre, o paciente está apto após sete dias; Alergias: apto sete dias após o fim do tratamento; Diarreia: apto sete dias após melhora dos sintomas; Gravidez: aguardar 90 dias após parto normal e 180 dias após cesária; Amamentação: aguardar 12 meses após o parto; Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação; Tatuagem, piercing ou maquiagem definitiva: impedem a doação de seis a 12 meses; Piercing em cavidade oral ou genital impedem a doação por 12 meses após a retirada; Infecções sexualmente transmissíveis: apto 12 meses após a cura; Quem esteve em regiões endêmicas de malária precisam aguardar 12 meses; Aguardar seis meses após procedimentos endoscópicos. Impedimentos definitivos para doação: Hepatite viral após os 11 anos de idade Diabetes insulinodependente Epilepsia ou convulsão Hanseníase Doença renal crônica Antecedentes de Neoplasias (Câncer) Antecedentes de acidente vascular cerebral (Derrame) Evidência Clínica ou Laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (Vírus HIV) Doenças associadas ao HTLV I/II e Doença de Chagas Cirurgia Bariátrica VÍDEOS: mais assistidos do g1 PR E Veja mais notícias do estado em g1 Paraná.

Paraná tem mais de 20 locais para de doação de sangue; confira endereços por cidades

Especialistas detalham que, em hospitais, a necessidade de bolsas de sangue é constante, por isso é imprescindível a ajuda do maior número de pessoas possíveis. Veja orientações. Profissionais de saúde do Paraná alertam para importância da doação de sangue José Fernando Oura/AEN O Paraná possui, atualmente, 23 locais para doação de sangue. Segundo a Secretaria de Saúde do Paraná (SESA), em pelo menos 14 municípios, é preciso agendar o serviço antes de doar. Nas demais cidades, a doação é feita por ordem de chegada. Veja locais para doar no Paraná: Locais para doação de sangue no Paraná Importância da doação Segundo a coordenadora de enfermagem do bloco cirúrgico do Hospital Marcelino Champagnat de Curitiba, Iris Andriani, a necessidade de sangue é constante. Na ala de cirurgias em que ela trabalha, por exemplo, para procedimentos bem sucedidos, é imprescindível que o estoque de sangue esteja em dia. "Então não adianta a gente fazer uma cirurgia, ela ser bem sucedida, se teve uma perda sanguínea grande, e eu não vou conseguir repor o sangue dessa pessoa. O sangue hoje, que é doado por todos os voluntários, ele salva vidas, faz parte da cura do paciente,” explica ela. Critérios básicos para doação: Estar em boas condições de saúde Ter entre 16 e 69 anos completos (menores de idade com autorização e presença do responsável legal) Pesar no mínimo 51 Kg Estar descansado, alimentado e hidratado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação) Apresentar documento oficial com foto ( Carteira de Identidade, Carteira do Conselho Profissional, Carteira de Trabalho, Passaporte ou Carteira Nacional de Habilitação) A doação deve ser agendada pelo site da Secretaria de Saúde. Clique aqui e agende Alguns impedimentos temporários para doação: Resfriados e gripes: se houve febre, aguardar 15 dias após melhora dos sintomas. Na ausência de febre, o paciente está apto após sete dias; Alergias: apto sete dias após o fim do tratamento; Diarreia: apto sete dias após melhora dos sintomas; Gravidez: aguardar 90 dias após parto normal e 180 dias após cesária; Amamentação: aguardar 12 meses após o parto; Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação; Tatuagem, piercing ou maquiagem definitiva: impedem a doação de seis a 12 meses; Piercing em cavidade oral ou genital impedem a doação por 12 meses após a retirada; Infecções sexualmente transmissíveis: apto 12 meses após a cura; Quem esteve em regiões endêmicas de malária precisam aguardar 12 meses; Aguardar seis meses após procedimentos endoscópicos. Impedimentos definitivos para doação: Hepatite viral após os 11 anos de idade Diabetes insulinodependente Epilepsia ou convulsão Hanseníase Doença renal crônica Antecedentes de Neoplasias (Câncer) Antecedentes de acidente vascular cerebral (Derrame) Evidência Clínica ou Laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (Vírus HIV) Doenças associadas ao HTLV I/II e Doença de Chagas Cirurgia Bariátrica VÍDEOS: mais assistidos do g1 PR E Veja mais notícias do estado em g1 Paraná.