Pará recebe maior tecnologia do mundo em acessibilidade para pessoas com deficiência visual

O Pará recebeu nesta quinta-feira (27), a maior tecnologia assistiva e inclusiva do mundo, para benefício das pessoas com deficiência visual, baixa visão, e ainda os dislexos e analfabetos. Os dispositivos em formato de óculos com inteligência artificial foram adquiridos por meio de emendas parlamentares de autoria do deputado estadual Fábio Freitas, tendo como objetivo …

Pará recebe maior tecnologia do mundo em acessibilidade para pessoas com deficiência visual
Foto: Divulgação (AID/Alepa).

O Pará recebeu nesta quinta-feira (27), a maior tecnologia assistiva e inclusiva do mundo, para benefício das pessoas com deficiência visual, baixa visão, e ainda os dislexos e analfabetos.

Os dispositivos em formato de óculos com inteligência artificial foram adquiridos por meio de emendas parlamentares de autoria do deputado estadual Fábio Freitas, tendo como objetivo promover e incentivar a inclusão e acessibilidade aos que sofrem de visão.

Em cerimônia oficial no auditório da Fundação Cultural do Pará (FCP), foram entregues 11 dispositivos de tecnologia israelense Orcam Myeye, que transforma textos em áudios, faz o reconhecimento de cores e pessoas, entre outras habilidades, possibilitando com isso, avanços na autonomia desse público.

“É um dispositivo que vai ajudar as pessoas com deficiência visual a ter a possibilidade de ler e estudar vai ajudar na educação e para os religiosos, vão ter a oportunidade de ler a bíblia, independente do idioma, o aparelho consegue identificar várias línguas. Nós trouxemos para cá pensando em transformar para melhor a vida dessas pessoas, trazendo qualidade de vida, saúde, acessibilidade e inclusão. Como parlamentar essa é a nossa função”, explica o deputado Fábio Freitas.

As pessoas com deficiência visual perdem autonomia, principalmente em um ambiente que não está de acordo com as necessidades especiais que esse público precisa. E as novas tecnologias vêm revolucionando o modo de ver e viver dessas pessoas, proporcionando mais qualidade de vida e esperança de um futuro melhor.

Na ocasião, os equipamentos foram distribuídos à Fundação Cultural do Estado do Pará – FCP, contemplada com três unidades, e com previsão de atender outras bibliotecas nas regiões de Marabá e Santarém e por meio de rotatividade com as demais. O Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação – CIIR, recebeu um óculos para ser utilizado aos mais de cem pacientes. Os outros sete dispositivos serão distribuídos entre instituições que desenvolvem atividades de educação especial e reabilitação em diversas regiões.

A centenária Fundação Cultura do Estado do Pará, que tem a missão de fomentar, preservar e difundir os bens culturais, assegurando o acesso às diversas formas de linguagem de arte, foi contemplada com três óculos. A instituição recebe por ano mais de 250 mil pessoas, dentre esse público, há pessoas com deficiência visual.

De acordo com o presidente da instituição, Guilherme Relvas, o aparelho vai promover maior inclusão e a qualificação dos serviços a essa parcela da população.

“Esse dispositivo vem qualificar os serviços da nossa biblioteca, tornando mais acessível. É muito importante para a nossa biblioteca centenária, por onde passam mais de 250 mil pessoas ao ano. E uma parcela desse público é de pessoas com deficiência visual ou com baixa visão. E agora a gente recebe esses óculos de tecnologia de ponta, e o público vai ter acesso, o que vai permitir facilidade no acesso à informação”, evidencia.

Para José Neto, diretor do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação – CIIR, o dispositivo vai auxiliar cerca de 115 pessoas com deficiência visual em reabilitação no projeto do Governo do Pará.

“Graças a emenda parlamentar do deputado Fábio Freitas, a gente recebeu um aparelho e vamos inserir esse dispositivo no programa de reabilitação e já estamos com técnicos analisando as funcionalidades do aparelho para poder aplicar nas atividades de reabilitação. Esse dispositivo é preponderante para que a gente possa melhorar o ganho do paciente numa quantidade de tempo menor”, afirma.

“Hoje, temos 115 pacientes que passam por reabilitação visual e vamos analisar a característica de cada um para poder aplicar as funcionalidades e até mesmo, podendo ampliar por intermédio do deputado, para implementar de forma mais abrangente”, completa.

Funcionalidade

Os óculos informam às pessoas com deficiência visual o que está escrito no impresso ou na tela do computador ou celular, na caixa do remédio, na bula, além do reconhecimento de cédulas que ajudam a saber quanto dinheiro tem na carteira, por exemplo na hora de pagar ou receber o troco. O aparelho ainda auxilia na identificação facial das pessoas e informa o horário através de leitura do relógio.

A OrCam é uma startup israelense, com sucesso reconhecido mundialmente, que vem desenvolvendo tecnologias para garantir visão artificial e melhor qualidade de vida às pessoas que sofrem de deficiência visual.

Ryan Alexandre Gaya, de 19 anos, aluno da Escola Álvares de Azevedo, esteve presente ao evento e ficou muito feliz com a chegada dessa tecnologia. Com deficiência visual total, o jovem espera poder utilizar o dispositivo futuramente para ter acesso à obras, em especial com narrativas de ação.

“Estou muito feliz em poder participar desse momento. Essa tecnologia vai poder ajudar muita gente como eu, e espero poder usar em Breve esse dispositivo e ter acesso a vários livros, principalmente os com história de muita ação”, conta Ryan, acompanhado de sua mãe, Carla, que é a pessoa que hoje faz as leituras que ele gosta, sem ser no braile.

“Este dispositivo transforma textos em áudios, pode fazer a leitura de letreiros, por exemplo, ler a hora, reconhecer cores e os rostos, cédulas de dinheiro, enfim é a pessoa ganha mais autonomia, se integra mais à sociedade, e ganha pertencimento ao grupo em que vive. Essa entrega no Pará, inédita em caráter governamental, foi possível graças à inciativa do deputado Fábio Freitas”, destacou Doron Sadka, diretor da Mais Autonomia.

(Com informações: Alepa)