Padrasto é preso após adolescente denunciar na escola que era estuprada desde os 7 anos em RR

Caso foi descoberto em novembro deste ano. Segundo a Polícia Civil, a mãe da adolescente também será investigada. Vítima tem 15 anos, mas violência começou quando ela ainda tinha sete. PCRR/Divulgação Um instrumentador cirúrgico, de 47 anos, foi preso suspeito de estuprar a enteada, em Boa Vista. A vítima, de 15 anos, disse que a violência sexual começou quando ela ainda tinha 7 e durou até os 12 anos. O caso foi divulgado nesta quinta-feira (23) pela Polícia Civil. O crime foi descoberto em novembro deste ano, após a vítima pedir ajuda na escola em que estuda. O Conselho Tutelar fez o primeiro acolhimento e, em seguida, ela foi ouvida na Delegacia de Proteção ao Idoso e a Pessoa com Necessidade Especial (DPPINE), acompanhada da mãe. “Diante das informações, encaminhamos a adolescente para ser submetida a exame de conjunção carnal e restou contatada as lesões da violência sexual, comprovando o relato dela de que vinha sendo abusada desde os 7 anos pelo padrasto”, detalhou o delegado titular da DPPINE, Paulo Henrique Tomaz Moreira. A menina relatou que, por várias vezes, o homem a dopou para praticar a violência sexual, evitando que ela gritasse e pedisse ajuda. Além do abuso, a menina sofria violência psicológica e tinha pavor do padrasto, informou a Civil. O acusado foi qualificado e interrogado, mas exerceu o direito constitucional de ficar calado. conforme o delegado, durante o depoimento do padrasto, a mãe da adolescente levou a menina na delegacia para ser ouvida novamente, pois ela "faria uma retratação". Mas a vítima reafirmou os abusos. “Durante oitiva da vítima, acompanhada do Conselho Tutelar, ela manteve suas declarações anteriores, relatando a violência sexual, o que aponta que a adolescente vinha sendo pressionada a mudar seu relato anterior e, com isso, a mãe dela foi ouvida e passou a ser investigada pela especializada”, afirmou o delegado. Conforme o delegado, a vítima estava com quadro de depressão e foi encaminhada para o atendimento especializado, que inclui apoio psicológico. O homem foi apresentado na delegacia ao lado dos advogados no final da tarde desta quarta-feira (22). Ele foi submetido a exame de corpo de delito e apresentado à Audiência de Custódia na manhã desta quinta-feira. Leia outras notícias do estado no g1 Roraima

Padrasto é preso após adolescente denunciar na escola que era estuprada desde os 7 anos em RR

Caso foi descoberto em novembro deste ano. Segundo a Polícia Civil, a mãe da adolescente também será investigada. Vítima tem 15 anos, mas violência começou quando ela ainda tinha sete. PCRR/Divulgação Um instrumentador cirúrgico, de 47 anos, foi preso suspeito de estuprar a enteada, em Boa Vista. A vítima, de 15 anos, disse que a violência sexual começou quando ela ainda tinha 7 e durou até os 12 anos. O caso foi divulgado nesta quinta-feira (23) pela Polícia Civil. O crime foi descoberto em novembro deste ano, após a vítima pedir ajuda na escola em que estuda. O Conselho Tutelar fez o primeiro acolhimento e, em seguida, ela foi ouvida na Delegacia de Proteção ao Idoso e a Pessoa com Necessidade Especial (DPPINE), acompanhada da mãe. “Diante das informações, encaminhamos a adolescente para ser submetida a exame de conjunção carnal e restou contatada as lesões da violência sexual, comprovando o relato dela de que vinha sendo abusada desde os 7 anos pelo padrasto”, detalhou o delegado titular da DPPINE, Paulo Henrique Tomaz Moreira. A menina relatou que, por várias vezes, o homem a dopou para praticar a violência sexual, evitando que ela gritasse e pedisse ajuda. Além do abuso, a menina sofria violência psicológica e tinha pavor do padrasto, informou a Civil. O acusado foi qualificado e interrogado, mas exerceu o direito constitucional de ficar calado. conforme o delegado, durante o depoimento do padrasto, a mãe da adolescente levou a menina na delegacia para ser ouvida novamente, pois ela "faria uma retratação". Mas a vítima reafirmou os abusos. “Durante oitiva da vítima, acompanhada do Conselho Tutelar, ela manteve suas declarações anteriores, relatando a violência sexual, o que aponta que a adolescente vinha sendo pressionada a mudar seu relato anterior e, com isso, a mãe dela foi ouvida e passou a ser investigada pela especializada”, afirmou o delegado. Conforme o delegado, a vítima estava com quadro de depressão e foi encaminhada para o atendimento especializado, que inclui apoio psicológico. O homem foi apresentado na delegacia ao lado dos advogados no final da tarde desta quarta-feira (22). Ele foi submetido a exame de corpo de delito e apresentado à Audiência de Custódia na manhã desta quinta-feira. Leia outras notícias do estado no g1 Roraima