Opinião: Não há ninguém que defenda Erechim na Assembleia Legislativa

Erechim, pela importância recebida da classe política, por vezes parece uma vila deserta em um canto remoto do mapa. Já li ou ouvi certa vez, que melhor seria pertencermos a Santa Catarina, já que o Estado frequentemente parece terminar em Passo Fundo. A prova prática disso está escancarada em todos os meios de comunicação com […]

Opinião: Não há ninguém que defenda Erechim na Assembleia Legislativa

Erechim, pela importância recebida da classe política, por vezes parece uma vila deserta em um canto remoto do mapa. Já li ou ouvi certa vez, que melhor seria pertencermos a Santa Catarina, já que o Estado frequentemente parece terminar em Passo Fundo.

A prova prática disso está escancarada em todos os meios de comunicação com a manchete “Em nova etapa do Avançar no Turismo, Estado anuncia investimento de R$ 65,9 milhões para parques urbanos”. Com estes recursos foram contempladas as cidades de Canoas, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria e Viamão.

A ausência de Erechim nesta lista acontece justamente quando o departamento de Turismo é absorvido pela secretaria de Desenvolvimento Econômico que é do PSDB, mesmo partido do governo do Estado e no momento exato em que o município discute a criação de, pelo menos, dois parques municipais.

Alguns creditam a ausência de investimento na Capital da Amizade à falta de projetos. Se não foram elaborados os projetos, mesmo havendo recursos, a falha foi local e de competência. Se existem projetos e não foram contemplados, faltou força política, faltou influência, faltou alguém bater na mesa e lembrar que Erechim não é a vila deserta que muitos pensam.

Passo Fundo que tem Mateus Wesp como deputado estadual eleito, foi contemplado com recursos para dois projetos que giram na casa dos R$ 11 milhões. Não adianta! Erechim não tem deputado e discurso vazio de que determinado político foi eleito pela região não passa de conversa mole para boi dormir.

Onde estava o deputado Gilberto Capoani (MDB) que fez 2865 votos em Erechim, a Any Ortiz (Cidadania) que alcançou 1827 votos, o Paparico (PL) que fez 1600 votos, o Ruy Irigaray (PSL) que teve 1515 votos, Luciano Zucco (PSL) que fez 1027 votos, Fabio Ostermann (Novo) que fez 964 votos, o Mateus Wesp (PSDB) que fez 602 votos, o Airton Lima (PR) que cooptou 549 eleitores, a Luciana Genro que fez 547, o Sergio Turra que teve 542 votos, o Vilmar Zanchin que fez 480 e outros tantos que fizeram votos na Capital da Amizade e que não lutaram para incluir Erechim no mapa de investimentos do Avançar no Turismo?

Nesta eleição certamente veremos mais uma vez, prefeitos, vereadores, lideranças e pseudo-lideranças andando de braços dados com candidatos forasteiros. Cabe a você eleitor dizer que POLÍTICOS FORASTEIROS NÃO SÃO BEM VINDOS EM SOLO BOTA AMARELA.