Morte de porco doméstico motiva apuração sobre peste na Tailândia

Rodolfo Buhrer/Reuters 5.4.2019 As autoridades pecuárias da Tailândia prometeram investigar a morte de um porco de estimação depois que um teste de laboratório em uma universidade revelou que ele morreu de peste suína africana, o primeiro relato desse tipo no país. A Tailândia insiste há anos que seus rebanhos suínos não foram afetados pela peste suína africana, que nos últimos anos varreu a Europa e a Ásia e matou centenas de milhões de porcos, especialmente na China, mesmo com seus vizinhos do sudeste asiático relatando surtos. Veja também Internacional Haiti registra primeiro surto de peste suína africana em 37 anos Brasília GDF apreendeu 1,4 tonelada de carnes e queijos sem procedência Economia Exportações de carne suína do Brasil batem recorde em 2021 Um porco de estimação em miniatura em Bangcoc foi encontrado morto da doença depois de ter sido trazido por seu proprietário para um teste de laboratório realizado no início de dezembro na Universidade de Kasetsart, informou Nattavut Ratanavanichrojn, reitor associado da Faculdade de Medicina Veterinária da universidade na província de Nakhon Pathom, a oeste de Bangcoc. "A peste suína africana foi encontrada na Tailândia, porque nós a encontramos", disse Nattavut à Reuters na noite de sexta-feira, acrescentando que a universidade havia enviado o resultado da autópsia do porco ao Departamento de Desenvolvimento Pecuário da Tailândia no mês passado. Ele acrescentou que o proprietário tinha dois outros porcos em miniatura na mesma casa que também morreram mais tarde. A descoberta da universidade segue a crescente especulação de que um surto de peste suína africana já está dizimando os rebanhos suínos tailandeses, com os preços dos suínos subindo devido à oferta mais baixa neste ano.

Morte de porco doméstico motiva apuração sobre peste na Tailândia
Rodolfo Buhrer/Reuters 5.4.2019

As autoridades pecuárias da Tailândia prometeram investigar a morte de um porco de estimação depois que um teste de laboratório em uma universidade revelou que ele morreu de peste suína africana, o primeiro relato desse tipo no país.

A Tailândia insiste há anos que seus rebanhos suínos não foram afetados pela peste suína africana, que nos últimos anos varreu a Europa e a Ásia e matou centenas de milhões de porcos, especialmente na China, mesmo com seus vizinhos do sudeste asiático relatando surtos.

Um porco de estimação em miniatura em Bangcoc foi encontrado morto da doença depois de ter sido trazido por seu proprietário para um teste de laboratório realizado no início de dezembro na Universidade de Kasetsart, informou Nattavut Ratanavanichrojn, reitor associado da Faculdade de Medicina Veterinária da universidade na província de Nakhon Pathom, a oeste de Bangcoc.

"A peste suína africana foi encontrada na Tailândia, porque nós a encontramos", disse Nattavut à Reuters na noite de sexta-feira, acrescentando que a universidade havia enviado o resultado da autópsia do porco ao Departamento de Desenvolvimento Pecuário da Tailândia no mês passado.

Ele acrescentou que o proprietário tinha dois outros porcos em miniatura na mesma casa que também morreram mais tarde. A descoberta da universidade segue a crescente especulação de que um surto de peste suína africana já está dizimando os rebanhos suínos tailandeses, com os preços dos suínos subindo devido à oferta mais baixa neste ano.