Michael Rockefeller: o 'holocausto canibal' da vida real

Na década de 1960, uma viagem para o litoral de Papua-Nova Guiné, na Oceania, seria a última empreitada da vida do historiador Michael Rockefeller. Decidido a estudar e arquivar documentos sobre os costumes da tribo Asmat, o americano se tornou vítima da própria ambição e foi alvo de uma misteriosa morte que movimentou os principais tabloides do país na época, indicando um destino que nem o maior dos otimistas poderia prever.Nascido em 1938 em Nova York, Michael Clark Rockefeller era filho do então governador do estado, Nelson Rockefeller, oriundo de uma das famílias norte-americanas mais ricas já registradas no país. Com pouco mais de 22 anos, o jovem promissor alcançou uma distinta formação em Harvard, especializando-se em arte primitiva para ir atrás de sua verdadeira paixão: documentos antropológicos de tribos isoladas pelo mundo.Leia mais...

Michael Rockefeller: o 'holocausto canibal' da vida real

Na década de 1960, uma viagem para o litoral de Papua-Nova Guiné, na Oceania, seria a última empreitada da vida do historiador Michael Rockefeller. Decidido a estudar e arquivar documentos sobre os costumes da tribo Asmat, o americano se tornou vítima da própria ambição e foi alvo de uma misteriosa morte que movimentou os principais tabloides do país na época, indicando um destino que nem o maior dos otimistas poderia prever.

Nascido em 1938 em Nova York, Michael Clark Rockefeller era filho do então governador do estado, Nelson Rockefeller, oriundo de uma das famílias norte-americanas mais ricas já registradas no país. Com pouco mais de 22 anos, o jovem promissor alcançou uma distinta formação em Harvard, especializando-se em arte primitiva para ir atrás de sua verdadeira paixão: documentos antropológicos de tribos isoladas pelo mundo.

Leia mais...