Macron condena guerra na Ucrânia e trabalha para detê-la; Otan prepara reunião de emergência

Presidente da França, Emmanuel Macron, tentou mediar o confronto entre Rússia e Ucrânia Tobias Schwarz / POOL / AFP "A França condena energicamente a decisão da Rússia de fazer a guerra contra a Ucrânia", declarou nesta quinta-feira (24) o presidente francês, Emmanuel Macron, que pediu a Moscou que "ponha fim imediatamente a suas operações militares". "A França se solidariza com a Ucrânia. Está ao lado dos ucranianos e age com seus parceiros e aliados para deter a guerra", acrescentou o presidente francês em dois tuítes. Novas tratativas Embaixadores da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) realizarão uma nova reunião de emergência nesta quinta-feira (24) para discutir a ação russa no território ucraniano, disse à agência AFP um funcionário da aliança militar. Veja também Internacional Após anúncio de Putin, Kiev e outras cidades da Ucrânia são alvos de explosões Internacional Ucrânia afirma ter derrubado cinco aviões e um helicóptero da Rússia, que nega a informação Internacional Boris Johnson promete resposta 'decisiva' após ação russa no território ucraniano Nas primeiras horas da quinta-feira, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, condenou a operação militar russa, que ele definiu como um "ataque irresponsável e não provocado, que coloca em risco inúmeras vidas de civis". "Mais uma vez, apesar de nossas repetidas advertências e esforços incansáveis para se engajar na diplomacia, a Rússia escolheu o caminho da agressão contra um país independente e soberano", acrescentou. Arte/R7

Presidente da França, Emmanuel Macron, tentou mediar o confronto entre Rússia e Ucrânia
Presidente da França, Emmanuel Macron, tentou mediar o confronto entre Rússia e Ucrânia Tobias Schwarz / POOL / AFP

"A França condena energicamente a decisão da Rússia de fazer a guerra contra a Ucrânia", declarou nesta quinta-feira (24) o presidente francês, Emmanuel Macron, que pediu a Moscou que "ponha fim imediatamente a suas operações militares".

"A França se solidariza com a Ucrânia. Está ao lado dos ucranianos e age com seus parceiros e aliados para deter a guerra", acrescentou o presidente francês em dois tuítes.

Novas tratativas

Embaixadores da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) realizarão uma nova reunião de emergência nesta quinta-feira (24) para discutir a ação russa no território ucraniano, disse à agência AFP um funcionário da aliança militar.

Nas primeiras horas da quinta-feira, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, condenou a operação militar russa, que ele definiu como um "ataque irresponsável e não provocado, que coloca em risco inúmeras vidas de civis".

"Mais uma vez, apesar de nossas repetidas advertências e esforços incansáveis para se engajar na diplomacia, a Rússia escolheu o caminho da agressão contra um país independente e soberano", acrescentou.

Arte/R7