Lula pede apoio das Forças Armadas ao Sul da Bahia

"Conversei com o governador Rui Costa, e é importante e urgente que as Forças Armadas, com sua estrutura de enfrentamento de calamidades, atuem no apoio para as vítimas das enchentes. Sem nenhum tipo de veto político, mas sim para ajudar o povo da Bahia", escreveu o ex-presidente.

Lula pede apoio das Forças Armadas ao Sul da Bahia

“Conversei com o governador Rui Costa, e é importante e urgente que as Forças Armadas, com sua estrutura de enfrentamento de calamidades, atuem no apoio para as vítimas das enchentes. Sem nenhum tipo de veto político, mas sim para ajudar o povo da Bahia”, escreveu o ex-presidente.

Por Redação – de Brasília, Salvador e São Paulo

O ex-presidente Lula (PT), líder nas pesquisas de opinião para as eleições presidenciais de 2022, cobrou pelo Twitter nesta segunda-feira uma ação das Forças Armadas para auxiliar a população baiana, que atualmente sofre com as gravíssimas enchentes na região.

Lula em entrevista ao El País
Lula se preocupa com o povo da Bahia e pede ajuda aos militares, enquanto Bolsonaro tira férias em Santa Catarina

“Conversei com o governador Rui Costa, e é importante e urgente que as Forças Armadas, com sua estrutura de enfrentamento de calamidades, atuem no apoio para as vítimas das enchentes. Sem nenhum tipo de veto político, mas sim para ajudar o povo da Bahia”, escreveu o ex-presidente.

De acordo com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), o estado tem 16.001 desabrigados pelas chuvas, 19.580 desalojados, dois desaparecidos e 18 mortos. São 72 municípios baianos em situação de emergência reconhecida pelo Governo do Estado. Do total, 58 deles estão também em situação de crise por conta das enchentes, segundo o governo da Bahia.

De férias

Enquanto Lula pede apoio às Forças Armadas em favor dos desabrigados no Sul da Bahia, quem tem poder para mobilizar as tropas nesse sentido, o presidente Jair Bolsonaro (PL) prefere tirar férias. A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, usou suas redes nesta segunda-feira para condenar Bolsonaro em mais uma atitude de descaso com a população brasileira.

“Solidariedade ao povo baiano que sofre com as enchentes. Governador Rui Costa está atuando firme para minorar o sofrimento das pessoas, enquanto postura de Bolsonaro é vergonhosa. Continua curtindo as férias, como se tivéssemos vivendo uma tragédia no Brasil. Esse homem é um inútil”, disse.

O governador da Bahia, Rui Costa, assinou na véspera novo decreto estadual que inclui mais 47 cidades na lista de municípios em situação de emergência em decorrência das chuvas intensas que atingem o estado neste mês. Até ontem (25), 25 cidades faziam parte da lista. Com a atualização, o número chega a 72.

Tragédia

Com a medida, fica autorizada a mobilização de todos os órgãos estaduais para apoiar as ações de resposta ao desastre, reabilitação do cenário e reconstrução das cidades. Costa sobrevoou e visitou, neste domingo, municípios do sul baiano onde as chuvas se intensificaram desde a última quinta-feira, como Ilhéus, Itabuna e Itajuípe.

De acordo com o governador, 37 cidades da região estão embaixo da água, atingidas de forma mais intensa pela subida do nível dos rios. No domingo, eram 19.

“É uma tragédia gigantesca. Não me lembro se, na história recente da Bahia, tem algo dessa proporção pela quantidade de cidades, de casas envolvidas. É algo realmente assustador, o número de casas, de ruas, de localidades completamente embaixo de água”, disse o governador, em publicação no Twitter.

Força-tarefa

Ainda na véspera, foi instalada uma base de apoio em Ilhéus, fruto de ação conjunta de vários órgãos federais e estaduais, para socorro aos municípios afetados pelas enchentes. De acordo com Rui Costa, devido à distância, outros pontos serão criados em Itapetinga, Vitória da Conquista, Ipiaú e Santa Inês.

Uma força-tarefa com agentes de segurança pública está atuando na região. Ela é composta por bombeiros militares da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Norte, Maranhão, Paraíba, Sergipe, além das policias Militar da Bahia e da Rodoviária Federal (PRF). Vinte viaturas, 10 aeronaves, oito botes e um barco também foram mobilizados.