JOVENS DETERMINADOS

A vida inteira é repleta de situações, diuturnamente, em que nos vemos obrigados a fazer escolhas ao longo de cada dia. Desde a roupa que usaremos e até mesmo de que nos alimentaremos. São escolhas simples, mas que geram conforto no nosso cotidiano.   No início de nossa existência somos propensos a optar por situações ou …

JOVENS DETERMINADOS

A vida inteira é repleta de situações, diuturnamente, em que nos vemos obrigados a fazer escolhas ao longo de cada dia. Desde a roupa que usaremos e até mesmo de que nos alimentaremos. São escolhas simples, mas que geram conforto no nosso cotidiano.  

No início de nossa existência somos propensos a optar por situações ou objetos que nos sacie de forma razoável no âmbito do bem-estar material. A melhor roupa, o alimento mais saudável ou saboroso, os últimos lançamentos em todos os graus do consumismo, e etc.. E ainda, penetrando mais na materialidade das posses, no melhor automóvel, na casa mais ampla e bela, nos melhores instrumentos para desenvolvermos nossos trabalhos, sejam eles quais forem, e por aí. Enfim, são escolhas.

Na maturidade descobrimos, enfim, como estas preferências moldaram nosso caráter e como definiram nossa forma de viver. É justamente onde entra a incógnita da questão.

Por questões óbvias, visa-se na juventude e de forma ingênua a materialidade em cada capítulo existencial. Não seria essa afirmação uma unanimidade, posto que nem todos os jovens se identificam com os adjetivos a eles impostos pelos mais, digamos, vividos. Há muitos deles com uma maturidade surpreendente e bem superior a muitos ‘maduros” inconsequentes. E seu contraponto são os “imaturos” bem resolvidos quanto a construção precoce de seu futuro.

Os jovens determinados não desperdiçam chances. Eles decidem aproveitar cada uma delas. Dificilmente são manipulados e dispõem-se a seguir o caminho certo, e nunca o mais fácil. São motivacionais por excelência e preferem ser úteis a ociosos.  Sobressaem-se dos acomodados por sua competência e inteligência em detrimento do oportunismo que a vida sugere em tantas e tantas versões.

A autoestima desses seres confronta-se com a autopiedade que grande parte da juventude resolve se denominar. Eles ouvem a sua própria voz e não a opinião dos outros. Trocam o livro se a página não pode ser virada e se algo de ruim acontece no percurso, fatalmente escolherão se fortalecer. Tudo neles serve como aprendizado.

As escolhas dos jovens os colocam onde eles quiserem. A diferença é que um jovem determinado já traçou o seu mapa desde o berçário, enquanto os acomodados se tornarão grandes maduros inconsequentes.