Jornal de Hong Kong anuncia o fechamento após operação policial na redação

Funcionários e ex-funcionários do jornal 'Stand News' foram detidos em uma operação policial. Horas depois, foi anunciado o fechamento da redação. China aprova reforma drástica no sistema eleitoral de Hong Kong O jornal digital "Stand News", de Hong Kong, anunciou nesta quarta-feira (29) que vai encerrar as atividades, após uma operação policial na redação e a detenção de funcionários e ex-funcionários da publicação. Em um comunicado divulgado no Facebook, o "Stand News" informou que seu editor-chefe, Patrick Lam, pediu demissão, e os demais funcionários foram demitidos. Um policial e um funcionário do 'Stand News' levam caixas da redação Daniel Suen / AFP "Devido à situação atual, o 'Stand News' vai parar de operar imediatamente e deixará de atualizar seu site e redes sociais", afirma a mensagem. O site e contas das redes sociais serão retirados do ar em breve. O jornal pró-democracia agradece os leitores e recorda que foi criado como um meio de comunicação sem fins lucrativos em dezembro de 2014 para "tomar uma posição por Hong Kong". "O 'Stand News' era editorialmente independente e se dedicava a proteger os valores centrais de Hong Kong, como a democracia, os direitos humanos, a liberdade, o Estado de direito e a justiça", afirma o comunicado. Mais de 200 policiais participaram nesta quarta-feira em uma operação na redação do jornal, durante a qual seis pessoas foram detidas e material jornalístico foi apreendido. O 'Stand News" é o segundo meio de comunicação fechado em Hong Kong após uma operação policial. O jornal pró-democracia Apple Daily encerrou as atividades em junho, quando teve os bens congelados. Moradores de Hong Kong fazem fila para comprar a última edição do jornal Apple Daily A repressão à imprensa local em Hong Kong, sede regional de várias publicações internacionais, aumentou depois dos grandes protestos pró-democracia de 2019 e da posterior imposição de uma lei de segurança nacional por Pequim, usada para calar a dissidência. Veja os vídeos mais assistidos do g1

Jornal de Hong Kong anuncia o fechamento após operação policial na redação

Funcionários e ex-funcionários do jornal 'Stand News' foram detidos em uma operação policial. Horas depois, foi anunciado o fechamento da redação. China aprova reforma drástica no sistema eleitoral de Hong Kong O jornal digital "Stand News", de Hong Kong, anunciou nesta quarta-feira (29) que vai encerrar as atividades, após uma operação policial na redação e a detenção de funcionários e ex-funcionários da publicação. Em um comunicado divulgado no Facebook, o "Stand News" informou que seu editor-chefe, Patrick Lam, pediu demissão, e os demais funcionários foram demitidos. Um policial e um funcionário do 'Stand News' levam caixas da redação Daniel Suen / AFP "Devido à situação atual, o 'Stand News' vai parar de operar imediatamente e deixará de atualizar seu site e redes sociais", afirma a mensagem. O site e contas das redes sociais serão retirados do ar em breve. O jornal pró-democracia agradece os leitores e recorda que foi criado como um meio de comunicação sem fins lucrativos em dezembro de 2014 para "tomar uma posição por Hong Kong". "O 'Stand News' era editorialmente independente e se dedicava a proteger os valores centrais de Hong Kong, como a democracia, os direitos humanos, a liberdade, o Estado de direito e a justiça", afirma o comunicado. Mais de 200 policiais participaram nesta quarta-feira em uma operação na redação do jornal, durante a qual seis pessoas foram detidas e material jornalístico foi apreendido. O 'Stand News" é o segundo meio de comunicação fechado em Hong Kong após uma operação policial. O jornal pró-democracia Apple Daily encerrou as atividades em junho, quando teve os bens congelados. Moradores de Hong Kong fazem fila para comprar a última edição do jornal Apple Daily A repressão à imprensa local em Hong Kong, sede regional de várias publicações internacionais, aumentou depois dos grandes protestos pró-democracia de 2019 e da posterior imposição de uma lei de segurança nacional por Pequim, usada para calar a dissidência. Veja os vídeos mais assistidos do g1