FBI faz alerta sobre golpes que usam QR Code para roubar vítimas

Códigos que podem ser lidos pela câmera do smartphone servem como atalhos para usuários, mas polícia federal americana diz que eles têm sido usados para roubar dados e induzir a pagamentos indevidos. QR Code Gerd Altmann/Pixabay O FBI publicou um alerta nesta semana sobre golpes que usam QR Code para roubar vítimas. Segundo a polícia federal dos Estados Unidos, criminosos criam códigos que parecem ser legítimos e levam os usuários para sites mal-intencionados. Compartilhe essa notícia no WhatsApp Compartilhe essa notícia no Telegram O QR Code é um código quadrado que pode ser lido pela câmera de um smartphone para encaminhar ao site de uma empresa, por exemplo. Entre as várias finalidades, também é possível usá-lo como um atalho para baixar um aplicativo ou fazer um pagamento. Para diminuir o contato na pandemia, ele foi adotado em vários estabelecimentos, como restaurantes com cardápios virtuais que podem ser acessados por QR Code. Veja dicas para evitar links maliciosos e não ser atacado por vírus e páginas clonadas Esse e-mail é confiável? Veja dicas para não cair em golpes No entanto, criminosos têm atuado para substituir códigos físicos e digitais para aplicar os golpes. É o que afirma o Centro de Reclamações de Crimes na Internet (IC3, na sigla em inglês), que faz parte do FBI. "Os cibercriminosos estão aproveitando essa tecnologia direcionando a leitura do QR Code para sites maliciosos para roubar dados da vítima, incorporar malware para obter acesso ao dispositivo da vítima e redirecionar o pagamento para uso cibercriminoso", disse o IC3 na última terça-feira (18). O órgão explica que, quando o objetivo é roubar dados, os criminosos criam sites para induzir a vítima a preencher informações de login e dados financeiros. As páginas também podem servir para baixar arquivos maliciosos, que têm o potencial de obter a localização e dados pessoais do usuário. WhatsApp clonado ou roubado? Saiba como evitar golpes e recuperar sua conta Sua conta no WhatsApp está protegida? Faça o teste e descubra "Embora códigos QR não sejam de natureza maliciosa, é importante ter cuidado ao inserir informações financeiras, bem como fazer pagamento por meio de um site acessado via QR Code", orientou o FBI. Como se proteger Em seu alerta, o FBI ofereceu dicas para evitar golpes que usam QR Code para roubar vítimas. O órgão orienta usuários a analisarem a URL do site que foi carregado após a leitura do código para garantir que ele realmente é legítimo. Em lojas físicas, a recomendação é verificar se não houve manipulação do QR Code com um adesivo em cima do original, por exemplo. A polícia federal americana também sugere cuidado com QR Code que aparecem em mensagens de empresas e amigos. De acordo com o órgão, o ideal é entrar em contato com quem enviou o código antes de acessá-lo no seu celular. Saiba como se proteger de golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger

FBI faz alerta sobre golpes que usam QR Code para roubar vítimas

Códigos que podem ser lidos pela câmera do smartphone servem como atalhos para usuários, mas polícia federal americana diz que eles têm sido usados para roubar dados e induzir a pagamentos indevidos. QR Code Gerd Altmann/Pixabay O FBI publicou um alerta nesta semana sobre golpes que usam QR Code para roubar vítimas. Segundo a polícia federal dos Estados Unidos, criminosos criam códigos que parecem ser legítimos e levam os usuários para sites mal-intencionados. Compartilhe essa notícia no WhatsApp Compartilhe essa notícia no Telegram O QR Code é um código quadrado que pode ser lido pela câmera de um smartphone para encaminhar ao site de uma empresa, por exemplo. Entre as várias finalidades, também é possível usá-lo como um atalho para baixar um aplicativo ou fazer um pagamento. Para diminuir o contato na pandemia, ele foi adotado em vários estabelecimentos, como restaurantes com cardápios virtuais que podem ser acessados por QR Code. Veja dicas para evitar links maliciosos e não ser atacado por vírus e páginas clonadas Esse e-mail é confiável? Veja dicas para não cair em golpes No entanto, criminosos têm atuado para substituir códigos físicos e digitais para aplicar os golpes. É o que afirma o Centro de Reclamações de Crimes na Internet (IC3, na sigla em inglês), que faz parte do FBI. "Os cibercriminosos estão aproveitando essa tecnologia direcionando a leitura do QR Code para sites maliciosos para roubar dados da vítima, incorporar malware para obter acesso ao dispositivo da vítima e redirecionar o pagamento para uso cibercriminoso", disse o IC3 na última terça-feira (18). O órgão explica que, quando o objetivo é roubar dados, os criminosos criam sites para induzir a vítima a preencher informações de login e dados financeiros. As páginas também podem servir para baixar arquivos maliciosos, que têm o potencial de obter a localização e dados pessoais do usuário. WhatsApp clonado ou roubado? Saiba como evitar golpes e recuperar sua conta Sua conta no WhatsApp está protegida? Faça o teste e descubra "Embora códigos QR não sejam de natureza maliciosa, é importante ter cuidado ao inserir informações financeiras, bem como fazer pagamento por meio de um site acessado via QR Code", orientou o FBI. Como se proteger Em seu alerta, o FBI ofereceu dicas para evitar golpes que usam QR Code para roubar vítimas. O órgão orienta usuários a analisarem a URL do site que foi carregado após a leitura do código para garantir que ele realmente é legítimo. Em lojas físicas, a recomendação é verificar se não houve manipulação do QR Code com um adesivo em cima do original, por exemplo. A polícia federal americana também sugere cuidado com QR Code que aparecem em mensagens de empresas e amigos. De acordo com o órgão, o ideal é entrar em contato com quem enviou o código antes de acessá-lo no seu celular. Saiba como se proteger de golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger