Envolvidos em tiroteio durante disputa de terra no sudoeste do Paraná não tinham porte de arma, diz polícia

Investigadores apuram de quem eram as armas usadas no episódio que terminou com quatro mortos. Imagens mostram que, minutos antes do tiroteio, casal estava em clube de tiros. Polícia afirma que envolvidos em tiroteio em Bom Jesus do Sul não tinham porte de arma Uma semana depois do tiroteio que deixou quatro mortos, em Bom Jesus do Sul, na região sudoeste do Paraná, as investigações da Polícia Civil avançam para descobrir de quem eram as armas usadas no confronto. De acordo com a polícia, o comerciante Cláudio Silvestre, morto no tiroteio, tinha registro de atirador e as duas armas dele apreendidas no local do confronto estavam legalizadas. Uma pistola calibre 357 e outra calibre 40, usada por ele para disparar contra contra o agricultor Francisco Bini, que conseguiu escapar. Tiroteio por disputa de terra em Bom Jesus do Sul deixa quatro pessoas mortas Em depoimento, Paulo Faé, genro do agricultor, confessou que atirou no casal. O revólver calibre 40 usado por ele também é registrado. A RPC teve acesso com exclusividade a imagens de câmeras de segurança que mostram o comerciante Cláudio Silvestre e a esposa, Janaína Silvestre, chegando em um clube de tiros na cidade, minutos antes do confronto. Os dois morreram no tiroteio. De acordo com as imagens, o casal ficou oito minutos no clube. Eles fizeram disparos e chegaram a registrar o momento com o celular. Comerciante Cláudio Silvestre, morto no tiroteio, em clube de tiros RPC Foz do Iguaçu Veja o que se sabe e o que ainda falta esclarecer sobre tiroteio no Paraná que deixou quatro mortos O delegado responsável pelas investigações, Emerson Ferreira, explica que ainda não se sabe se, enquanto o casal estava praticando tiro desportivo, teriam recebido a informação da localização dos demais envolvidos na disputa de terra e se dirigido até lá. "Não é normal as pessoas agendarem horário num clube e atirarem menos de 10 minutos", afirma o delegado. Porém, o delegado explica que a posse das armas não permitia que nenhum dos envolvidos andasse armado. No caso do comerciante, afirma o delegado, ele só podia carregar a arma de casa até o clube de tiros. A terra da disputa entre o comerciante e o agricultor onde ocorreu o confronto fica longe desse trajeto. "As pessoas confundem a posse com o porte. A posse te dá direito de ter a tua arma na tua empresa ou na sua residência, essas pessoas estavam de forma irregular", afirmou o delegado. O agricultor Francisco Bini disse em depoimento que também estava armado, mas não lembra onde deixou o revolver. Outra arma apreendida foi encontrada no banco do carro da outra vítima do confronto, Acelino Soares, amigo do agricultor. A defesa do casal Cláudio e Janaína disse que a família estၠem luto e não vai se manifestar sobre o caso porque quer privacidade. A defesa do agricultor Francisco Bini e do genro dele explicou que só irá se manifestar depois da conclusão do inquérito. Veja os vídeos mais assistidos do g1 PR: Veja mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.

Envolvidos em tiroteio durante disputa de terra no sudoeste do Paraná não tinham porte de arma, diz polícia

Investigadores apuram de quem eram as armas usadas no episódio que terminou com quatro mortos. Imagens mostram que, minutos antes do tiroteio, casal estava em clube de tiros. Polícia afirma que envolvidos em tiroteio em Bom Jesus do Sul não tinham porte de arma Uma semana depois do tiroteio que deixou quatro mortos, em Bom Jesus do Sul, na região sudoeste do Paraná, as investigações da Polícia Civil avançam para descobrir de quem eram as armas usadas no confronto. De acordo com a polícia, o comerciante Cláudio Silvestre, morto no tiroteio, tinha registro de atirador e as duas armas dele apreendidas no local do confronto estavam legalizadas. Uma pistola calibre 357 e outra calibre 40, usada por ele para disparar contra contra o agricultor Francisco Bini, que conseguiu escapar. Tiroteio por disputa de terra em Bom Jesus do Sul deixa quatro pessoas mortas Em depoimento, Paulo Faé, genro do agricultor, confessou que atirou no casal. O revólver calibre 40 usado por ele também é registrado. A RPC teve acesso com exclusividade a imagens de câmeras de segurança que mostram o comerciante Cláudio Silvestre e a esposa, Janaína Silvestre, chegando em um clube de tiros na cidade, minutos antes do confronto. Os dois morreram no tiroteio. De acordo com as imagens, o casal ficou oito minutos no clube. Eles fizeram disparos e chegaram a registrar o momento com o celular. Comerciante Cláudio Silvestre, morto no tiroteio, em clube de tiros RPC Foz do Iguaçu Veja o que se sabe e o que ainda falta esclarecer sobre tiroteio no Paraná que deixou quatro mortos O delegado responsável pelas investigações, Emerson Ferreira, explica que ainda não se sabe se, enquanto o casal estava praticando tiro desportivo, teriam recebido a informação da localização dos demais envolvidos na disputa de terra e se dirigido até lá. "Não é normal as pessoas agendarem horário num clube e atirarem menos de 10 minutos", afirma o delegado. Porém, o delegado explica que a posse das armas não permitia que nenhum dos envolvidos andasse armado. No caso do comerciante, afirma o delegado, ele só podia carregar a arma de casa até o clube de tiros. A terra da disputa entre o comerciante e o agricultor onde ocorreu o confronto fica longe desse trajeto. "As pessoas confundem a posse com o porte. A posse te dá direito de ter a tua arma na tua empresa ou na sua residência, essas pessoas estavam de forma irregular", afirmou o delegado. O agricultor Francisco Bini disse em depoimento que também estava armado, mas não lembra onde deixou o revolver. Outra arma apreendida foi encontrada no banco do carro da outra vítima do confronto, Acelino Soares, amigo do agricultor. A defesa do casal Cláudio e Janaína disse que a família estၠem luto e não vai se manifestar sobre o caso porque quer privacidade. A defesa do agricultor Francisco Bini e do genro dele explicou que só irá se manifestar depois da conclusão do inquérito. Veja os vídeos mais assistidos do g1 PR: Veja mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.