Em Petrópolis, roupas doadas para vítimas ficam ao relento e apodrecem

O material estava acumulado em uma tenda na Praça Dr. Miguel Couto. Sem condições de uso, as peças de roupa deverão ser queimadas pela prefeitura da cidade

Em Petrópolis, roupas doadas para vítimas ficam ao relento e apodrecem
PetrópolisFernando Frazão/Agência Brasil

A medida consta de uma decisão do juíz Jorge Luiz Martins, da 4ª Vara Cível de Petrópolis, divulgada no sábado (dia 19) em uma ação movida pela Defensoria Pública para que fosse dada uma destinação aos artigos. O material estava acumulado em uma tenda na Praça Dr. Miguel Couto, no bairro do Alto da Serra, uma das regiões mais atingidas pelo temporal de fevereiro que deixou mais de 230 mortos.

‘’Aquele que experimenta o torturante infortúnio, fragilizado tanto econômico, quanto financeiramente, continua sendo uma espécie a priori na estratificação das estruturas sociais! Sim, esse homem chicoteado pela dor é credor do direito de ser tratado com igual respeito e consideração, na exata medida em que ostenta a titularidade dos mesmos direitos subjetivos afirmados pelo direito natural e, relevantíssimo, pelas diretivas de índole humanitárias positivadas na carta constitucional e nos documentos internacionais que versam sobre a dignidade do Ser Humano na cimeira dos diretos fundamentais’’, escreveu o juiz.

Leia mais...