Defesa Civil e Bombeiros montam operação de resgate a ribeirinhos ilhados após aumento de nível de rio na Grande Natal

Moradores relutam em sair do local com medo das casas serem saqueadas. Com casas ilhadas, moradores se locomovem em canoas Pedro Trindade/Inter TV Cabugi O Corpo de Bombeiros e Defesa Civil de Parnamirim montaram, nesta quarta-feira (6), uma operação de resgate a ribeirinhos que ficaram ilhados após a cheia do rio Pium. De acordo com os bombeiros, nenhum morador quis ser resgatado. Ilhados, os moradores temem que casas sejam saqueadas, optando pela permanência no local. De acordo com a Defesa Civil do município, nenhum dos imóveis foi condenado a ponto de ser interditado. Diante da atual situação, os moradores só podem ser retirados do local se assim escolherem. LEIA MAIS Defesa Civil registra morte de homem causada pelos efeitos das chuvas na Grande Natal Cidades potiguares decretam calamidade pública após chuvas no RN Saiba como ajudar moradores atingidos pelas fortes chuvas no RN Não há a confirmação de quantas famílias foram atingidas pela cheia do Rio Pium. A situação era ainda mais calamitosa nesta terça-feira (5), até que bombeiros realizaram a interdição da ponte e retirada de árvores que obstruíam a passagem de água em bueiros. A opção para os moradores foram suspender móveis e eletrodomésticos para evitar novos prejuízos Pedro Trindade/Inter TV Cabugi Moradores relatam prejuízos Apesar de permanecerem no local, moradores relatam prejuízos após a cheia do rio. É o caso do pescador Mauro Cordeiro que afirmou ter perdido um aparelho de som e viu uma rachadura reaparecer na estrutura do imóvel. O problema já tinha sido consertado em duas ocasiões e voltou a aparecer após as fortes chuvas do final de semana, que superaram o esperado para todo o mês de julho. Mauro relata que a rachadura reapareceu após chuvas do final de semana. Pedro Trindade/Inter TV Cabugi Para evitar novos prejuízos, Mauro afirma ter suspendido móveis e eletrodomésticos, evitando o contato com a água que entrou na casa após a cheia. "Até o carro está suspenso", afirma o pescador. Vídeos mais assistidos do g1 RN

Defesa Civil e Bombeiros montam operação de resgate a ribeirinhos ilhados após aumento de nível de rio na Grande Natal

Moradores relutam em sair do local com medo das casas serem saqueadas. Com casas ilhadas, moradores se locomovem em canoas Pedro Trindade/Inter TV Cabugi O Corpo de Bombeiros e Defesa Civil de Parnamirim montaram, nesta quarta-feira (6), uma operação de resgate a ribeirinhos que ficaram ilhados após a cheia do rio Pium. De acordo com os bombeiros, nenhum morador quis ser resgatado. Ilhados, os moradores temem que casas sejam saqueadas, optando pela permanência no local. De acordo com a Defesa Civil do município, nenhum dos imóveis foi condenado a ponto de ser interditado. Diante da atual situação, os moradores só podem ser retirados do local se assim escolherem. LEIA MAIS Defesa Civil registra morte de homem causada pelos efeitos das chuvas na Grande Natal Cidades potiguares decretam calamidade pública após chuvas no RN Saiba como ajudar moradores atingidos pelas fortes chuvas no RN Não há a confirmação de quantas famílias foram atingidas pela cheia do Rio Pium. A situação era ainda mais calamitosa nesta terça-feira (5), até que bombeiros realizaram a interdição da ponte e retirada de árvores que obstruíam a passagem de água em bueiros. A opção para os moradores foram suspender móveis e eletrodomésticos para evitar novos prejuízos Pedro Trindade/Inter TV Cabugi Moradores relatam prejuízos Apesar de permanecerem no local, moradores relatam prejuízos após a cheia do rio. É o caso do pescador Mauro Cordeiro que afirmou ter perdido um aparelho de som e viu uma rachadura reaparecer na estrutura do imóvel. O problema já tinha sido consertado em duas ocasiões e voltou a aparecer após as fortes chuvas do final de semana, que superaram o esperado para todo o mês de julho. Mauro relata que a rachadura reapareceu após chuvas do final de semana. Pedro Trindade/Inter TV Cabugi Para evitar novos prejuízos, Mauro afirma ter suspendido móveis e eletrodomésticos, evitando o contato com a água que entrou na casa após a cheia. "Até o carro está suspenso", afirma o pescador. Vídeos mais assistidos do g1 RN