Cresce percepção dos eleitores de que preços “aumentaram muito”, segundo pesquisa

Metade dos entrevistados pelo levantamento do Ipespe divulgado nesta sexta-feira diz que temas econômicos deveriam ser principal preocupação do próximo presidente Este conteúdo foi originalmente publicado em Cresce percepção dos eleitores de que preços “aumentaram muito”, segundo pesquisa no site CNN Brasil.

Cresce percepção dos eleitores de que preços “aumentaram muito”, segundo pesquisa

Pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira (13) mostra que a percepção dos eleitores de que a inflação e os preços dos produtos “aumentaram muito” nos últimos meses no país subiu quatro pontos em relação ao levantamento anterior, divulgado em 6 de maio.

A proporção de eleitores que diziam ter essa percepção aumentou de 73%, na primeira semana de maio, para 77% na pesquisa divulgada nesta sexta. Outros 21% dos entrevistados disseram que os preços aumentaram.

O levantamento, registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-02603/2022, ouviu por telefone 1.000 pessoas em todo o país, entre 9 e 11 de maio.

A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Segundo dados divulgados na quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), alimentos como leite, batata e tomate subiram mais de 10% em abril. No acumulado de 12 meses, o tomate já subiu 103,26%, e a cenoura, 178,02%.

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira, o diretor do Ipespe, Antonio Lavareda, afirmou que o sentimento predominante das eleições deste ano será a “angústia” e a “ansiedade” com a economia.

“A questão da inflação é associada sempre ao governo. É posta sob o guarda-chuva, o manto da responsabilidade dos governos. Isso ocorre em todo o mundo”, disse.

Segundo o cientista político, o tema também interferiu em eleições recentes na Turquia e no Reino Unido e é uma preocupação eleitoral nos Estados Unidos.

“A inflação é o principal flagelo que assusta os democratas norte-americanos. Eles já estão antevendo um desempenho desastroso nas eleições intermediárias”, afirmou.

A pesquisa XP/Ipespe também mostra que 41% dos entrevistados dizem acreditar que a inflação e preços dos produtos vão aumentar nos próximos meses ― outros 22% afirmam que os preços vão aumentar muito, 22% que ficarão iguais, e 10% que vão diminuir.

Para 62%, a economia brasileira está no caminho errado.

Em relação a quem diz acreditar que está no caminho certo, o número chegou a 33%, seis pontos a mais desde o levantamento de março. Cerca de metade dos eleitores (49%) fizeram menções à agenda econômica (como inflação, desemprego, fome, miséria e salário), quando perguntados sobre quais os temas mais importantes para serem tratados pelo próximo presidente.Inflação e custo de vida foram citados por 26% dos entrevistados e se tornou o assunto que mais preocupa os eleitores.

O tema subiu oito pontos desde o final de 2021, ultrapassando a educação.

(Publicado por Estevão Bertoni)

Este conteúdo foi originalmente publicado em Cresce percepção dos eleitores de que preços “aumentaram muito”, segundo pesquisa no site CNN Brasil.