Covid-19: Câmara de Juiz de Fora recebe denúncia de aplicação de doses vencidas em UBS; Prefeitura desmente

Segundo o presidente da Comissão de Saúde Pública e Bem-Estar Social, vereador Bejani Júnior (Podemos), o órgão abrirá requerimento para convocar a secretária de Saúde, Ana Pimentel, a esclarecer os fatos na segunda (10). O g1 procurou a Prefeitura. Câmara recebe denúncia de aplicação de doses vencidas contra a Covid-19 em Juiz de Fora Bejani Júnior/Divulgação A Comissão de Saúde Pública e Bem-Estar Social da Câmara de Juiz de Fora recebeu, na sexta-feira (7), 2 denúncias referentes às supostas irregularidades na vacinação contra a Covid-19 na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Alto Grajaú. Segundo o presidente da comissão, vereador Bejani Júnior (Podemos), o órgão recebeu a informação de que vacinas aplicadas na unidade estavam com a data de validade vencida em dezembro do ano passado. "Vamos abrir, na próxima segunda-feira (10), um requerimento para todos os pares, todos os vereadores e vereadoras que se sentirem confortáveis poderão assinar, solicitando urgentemente a convocação da secretária de Saúde, Ana Pimentel, para que ela preste esclarecimentos à Câmara. Vamos dar um prazo de 48 horas para ela juntar a documentação e todas as informações serão repassadas para a população. Não dá pra gente ver essas coisas e ficar calado", afirmou o presidente. Em nota, a Prefeitura informou que a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunização ampliou as datas de validade de remessas do imunizante Pfizer em 3 meses. "Esta ampliação do prazo de armazenamento da vacina Covid-19 da fabricante Pfizer/Comirnaty foi orientada aos municípios pelo Ministério da Saúde (MS), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). A Vigilância Epidemiológica da SS/PJF informou, via e-mail, em 21 de dezembro de 2021, data do recebimento das vacinas, a todas as unidades que realizam a vacinação em Juiz de Fora", citou a nota. A Administração ressaltou, ainda, que monitora os prazos de validade das vacinas, bem como a conservação dos imunobiológicos e reforçou não haver imunizantes fora do prazo de validade estabelecido pelos órgãos competentes. Nota da Prefeitura "A Secretária de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) informa que a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunização, através do COMUNICADO SEI/MS - 0023591215 - enviado aos coordenadores estaduais do programa de imunização no dia 3 de novembro de 2021 (link em anexo), ampliou as datas de validade de remessas do imunizante Pfizer em três meses. Esta ampliação do prazo de armazenamento da vacina Covid-19 da fabricante Pfizer/Comirnaty foi orientada aos municípios pelo Ministério da Saúde (MS), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). A Vigilância Epidemiológica da SS/PJF informou, via e-mail, em 21 de dezembro de 2021, data do recebimento das vacinas, a todas as unidades que realizam a vacinação em Juiz de Fora sobre a mudança. A Vigilância Epidemiológica da SS/PJF monitora os prazos de validade das vacinas, bem como a conservação dos imunobiológicos e reforça que não há imunizantes fora do prazo de validade estabelecido pelos órgãos competentes." Ampliação do prazo da vacina No documento expedido pelo Ministério da Saúde no dia 3 de novembro o prazo de armazenamento de doses do imunizante da Pfizer foi ratificado e ampliado para os frascos fechados (-90°C a - 60°C). "A Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI/DEDIT/SVS/MS) informa sobre a conclusão do processo de entrega de 30 unidades de Freezers ultra low temperature (ULT), capacidade de 549L e 816L, adquiridos pelo Ministério da Saúde para estruturação das centrais de Rede de Frio das 27 Unidades Federadas (UF). O equipamento visa o adequado armazenamento da vacina COVID-19 Pfizer/Comirnaty à temperatura de - 80°C (ULT), potencializando a logística deste imunizante nas unidades federativas. Todas as UF foram contempladas com 1 unidade do equipamento, à exceção de São Paulo (2 unidades), Minas Gerais (2 unidades) e Rio Grande do Sul (2 unidades). Na oportunidade, retifica-se as datas de validade ampliadas para os frascos fechados (-90°C a - 60°C) dos lotes distribuídos da vacina COVID-19 Pfizer/Comirnaty, publicadas no Comunicado(0023548540)". Ministério amplia datas de validade da Pfizer Reprodução/Ministério da Saúde Outras denúncias Ainda segundo o vereador Bejani Júnior, outros 3 casos, noticiados pelo g1 durante a semana, também foram protocolados. "Foram 3 fatos na sequência e é muito válido a gente averiguar, esclarecer e informar a população de Juiz de fora sobre", pontuou o vereador. Na segunda-feira (3), uma servidora da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Santa Luzia, Juiz de Fora, foi afastada da função após uma cidadã denunciar que a profissional aplicou uma seringa supostamente vazia durante a vacinação contra a Covid-19, na manhã de segunda-feira. Na ocasião, a Prefeitura confirmou o erro técnico na aplicação

Covid-19: Câmara de Juiz de Fora recebe denúncia de aplicação de doses vencidas em UBS; Prefeitura desmente

Segundo o presidente da Comissão de Saúde Pública e Bem-Estar Social, vereador Bejani Júnior (Podemos), o órgão abrirá requerimento para convocar a secretária de Saúde, Ana Pimentel, a esclarecer os fatos na segunda (10). O g1 procurou a Prefeitura. Câmara recebe denúncia de aplicação de doses vencidas contra a Covid-19 em Juiz de Fora Bejani Júnior/Divulgação A Comissão de Saúde Pública e Bem-Estar Social da Câmara de Juiz de Fora recebeu, na sexta-feira (7), 2 denúncias referentes às supostas irregularidades na vacinação contra a Covid-19 na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Alto Grajaú. Segundo o presidente da comissão, vereador Bejani Júnior (Podemos), o órgão recebeu a informação de que vacinas aplicadas na unidade estavam com a data de validade vencida em dezembro do ano passado. "Vamos abrir, na próxima segunda-feira (10), um requerimento para todos os pares, todos os vereadores e vereadoras que se sentirem confortáveis poderão assinar, solicitando urgentemente a convocação da secretária de Saúde, Ana Pimentel, para que ela preste esclarecimentos à Câmara. Vamos dar um prazo de 48 horas para ela juntar a documentação e todas as informações serão repassadas para a população. Não dá pra gente ver essas coisas e ficar calado", afirmou o presidente. Em nota, a Prefeitura informou que a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunização ampliou as datas de validade de remessas do imunizante Pfizer em 3 meses. "Esta ampliação do prazo de armazenamento da vacina Covid-19 da fabricante Pfizer/Comirnaty foi orientada aos municípios pelo Ministério da Saúde (MS), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). A Vigilância Epidemiológica da SS/PJF informou, via e-mail, em 21 de dezembro de 2021, data do recebimento das vacinas, a todas as unidades que realizam a vacinação em Juiz de Fora", citou a nota. A Administração ressaltou, ainda, que monitora os prazos de validade das vacinas, bem como a conservação dos imunobiológicos e reforçou não haver imunizantes fora do prazo de validade estabelecido pelos órgãos competentes. Nota da Prefeitura "A Secretária de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) informa que a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunização, através do COMUNICADO SEI/MS - 0023591215 - enviado aos coordenadores estaduais do programa de imunização no dia 3 de novembro de 2021 (link em anexo), ampliou as datas de validade de remessas do imunizante Pfizer em três meses. Esta ampliação do prazo de armazenamento da vacina Covid-19 da fabricante Pfizer/Comirnaty foi orientada aos municípios pelo Ministério da Saúde (MS), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). A Vigilância Epidemiológica da SS/PJF informou, via e-mail, em 21 de dezembro de 2021, data do recebimento das vacinas, a todas as unidades que realizam a vacinação em Juiz de Fora sobre a mudança. A Vigilância Epidemiológica da SS/PJF monitora os prazos de validade das vacinas, bem como a conservação dos imunobiológicos e reforça que não há imunizantes fora do prazo de validade estabelecido pelos órgãos competentes." Ampliação do prazo da vacina No documento expedido pelo Ministério da Saúde no dia 3 de novembro o prazo de armazenamento de doses do imunizante da Pfizer foi ratificado e ampliado para os frascos fechados (-90°C a - 60°C). "A Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI/DEDIT/SVS/MS) informa sobre a conclusão do processo de entrega de 30 unidades de Freezers ultra low temperature (ULT), capacidade de 549L e 816L, adquiridos pelo Ministério da Saúde para estruturação das centrais de Rede de Frio das 27 Unidades Federadas (UF). O equipamento visa o adequado armazenamento da vacina COVID-19 Pfizer/Comirnaty à temperatura de - 80°C (ULT), potencializando a logística deste imunizante nas unidades federativas. Todas as UF foram contempladas com 1 unidade do equipamento, à exceção de São Paulo (2 unidades), Minas Gerais (2 unidades) e Rio Grande do Sul (2 unidades). Na oportunidade, retifica-se as datas de validade ampliadas para os frascos fechados (-90°C a - 60°C) dos lotes distribuídos da vacina COVID-19 Pfizer/Comirnaty, publicadas no Comunicado(0023548540)". Ministério amplia datas de validade da Pfizer Reprodução/Ministério da Saúde Outras denúncias Ainda segundo o vereador Bejani Júnior, outros 3 casos, noticiados pelo g1 durante a semana, também foram protocolados. "Foram 3 fatos na sequência e é muito válido a gente averiguar, esclarecer e informar a população de Juiz de fora sobre", pontuou o vereador. Na segunda-feira (3), uma servidora da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Santa Luzia, Juiz de Fora, foi afastada da função após uma cidadã denunciar que a profissional aplicou uma seringa supostamente vazia durante a vacinação contra a Covid-19, na manhã de segunda-feira. Na ocasião, a Prefeitura confirmou o erro técnico na aplicação do imunizante e destacou que "a falha foi a tempo detectada e a cidadã recebeu corretamente do imunizante ainda na segunda-feira (3)". Ainda em nota, a Prefeitura informou que foi aberto um processo administrativo e ressaltou que este foi o primeiro registro desse tipo de erro técnico em Juiz de Fora. Já na quinta-feira (6), aproximadamente 60 pessoas que procuravam a vacinação contra a Covid-19 foram, equivocadamente, imunizadas com a vacina pentavalente na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Santa Cruz. A vacina pentavalente garante proteção contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, bactéria haemophilus influenza tipo B. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que após a constatação do erro buscou contato com todas as pessoas vítimas do equívoco para que recebessem o imunizante contra a Covid-19 e ressalto que “não há nenhum problema de compatibilidade entre as vacinas aplicadas, e, portanto, nenhum risco à saúde das pessoas que tenham recebido os dois imunizantes”. Uma investigação administrativa também foi aberta. VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campos das Vertentes