'Corro risco de morte': mudança no rol da ANS impacta vida de atleta

Gildo pode perder movimentos do corpo se não tomar medicamentos corretos, que não fazem parte do rol da ANS, agora taxativo

'Corro risco de morte': mudança no rol da ANS impacta vida de atleta
Gildo Afonso é um atleta que depende de medicamentos que não fazem parte do rol da ANSReprodução arquivo pessoal 01/07

No último dia 8 de junho, o STJ decidiu que as operadoras dos planos de saúde não precisam cobrir procedimentos que não constem na lista ANS. A decisão abarca a cobertura de exames, terapias, cirurgias e fornecimento de medicamentos, que é o que mais afeta Gildo. 

“Hoje meu salário corresponde a metade da injeção que tomo todo mês, em torno de R$ 10 mil, o que é inviável para me manter após a decisão do STJ ao taxar medicações e tratamentos que estejam fora do rol da ANS”, explica.

Leia mais...