Clientes reclamam dos preços e comerciantes notam aumento nas vendas de Natal em Boa Vista

Segundo comerciantes, vendas aumentaram em torno de 30% em relação ao ano passado. Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estimou que as vendas de Natal devem movimentar cerca de R$ 114 milhões no comércio varejista em Roraima. Comércio tem pouco movimento no Centro de Boa Vista nessa sexta-feira (24) Yara Ramalho/g1 RR O comércio no Centro de Boa Vista ficou pouco movimentando nesta sexta-feira (24) para as compras de Natal. No entanto, segundo o comerciante Rondinelio Horblt, de 44 anos, as vendas aumentaram em torno de 30% em relação ao ano passado. "Tá melhorzinho, foi melhor do que o ano passado eu acho, faturamos uns 30% a mais", explicou ele. Apesar disso, o comerciante, que vende acessórios para celulares no Centro Comercial Caxambú, região de comércio popular, pretende manter as portas abertas até às 19h, na espera de mais clientes. "Vamos esperar mais clientes e vamos ficar abertos até às 18h30 ou 19h da noite, esperando o povo vir pro Centro", contou. Com o dinheiro curto, alguns clientes não gostaram dos valores encontrados nesta sexta-feira. Para Adria Moreira, de 22 anos, e a mãe dela, Vanusa Moreira, de 48, os produtos ficaram mais caros do que no ano passado. Clientes não gostaram dos valores encontrados em Boa Vista. Yara Ramalho/g1 RR "Não gostei dos preços porque está tudo caro, não tem uma promoção. Eu acho que está mais caro, muito mais caro, eu gastei mais e comprei menos presentes", disse Adria. Adria não está errada. No último dia 15, a Fecomércio de Roraima analisou que por conta da inflação, o consumidor vai gastar mais e comprar menos produtos este ano. Mas por outro lado, as vendas de Natal devem bater recorde no comércio varejista em Roraima, com movimentação de aproximadamente R$ 114 milhões. O maior valor já apresentado para a data, conforme a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Comércio no Centro de Boa Vista ficou pouco movimentando nesta sexta-feira (24). Yara Ramalho/g1 RR LEIA MAIS: Vendas de Natal em Roraima devem movimentar cerca de R$ 114 milhões, estima CNC No Brasil, vendas no Natal devem cair pelo segundo ano seguido, diz CNC Para Vanusa, os produtos se tornaram mais caros por conta da pandemia da Covid-19 e as compras ultrapassaram o orçamento dela. "Esse ano foi mais caro. Acho que devido essa pandemia as coisas se tornaram mais caras, mas ano passado foi melhor. Esse não foi muito bom para o orçamento da gente não", contou Vanusa Segundo a filha, elas chegaram a encontrar produtos com bons preços, mas não foram atendidas pelos funcionários de uma loja. "Eu achei a sandália que eu queria, do preço que eu queria, mas ninguém me atendeu, não tinha ninguém pra me atender. A loja estava vazia, não tinha ninguém [clientes] na loja", contou. Por conta da experiência nessa sexta-feira, no ano próximo anos as duas contam que vão se organizar e comprar os presentes bem antes do Natal, para evitar os preços mais altos. "Esse ano que vem eu vou me organizar mais, vou tentar comprar antes de chegar [o natal], antecipado porque senão, se tornar muito caro", explicou Vanusa. Vendas aumentaram em torno de 30% em relação ao ano passado, segundo comerciantes. Yara Ramalho/g1 RR Leia outras noticias do estado no g1 Roraima.

Clientes reclamam dos preços e comerciantes notam aumento nas vendas de Natal em Boa Vista

Segundo comerciantes, vendas aumentaram em torno de 30% em relação ao ano passado. Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estimou que as vendas de Natal devem movimentar cerca de R$ 114 milhões no comércio varejista em Roraima. Comércio tem pouco movimento no Centro de Boa Vista nessa sexta-feira (24) Yara Ramalho/g1 RR O comércio no Centro de Boa Vista ficou pouco movimentando nesta sexta-feira (24) para as compras de Natal. No entanto, segundo o comerciante Rondinelio Horblt, de 44 anos, as vendas aumentaram em torno de 30% em relação ao ano passado. "Tá melhorzinho, foi melhor do que o ano passado eu acho, faturamos uns 30% a mais", explicou ele. Apesar disso, o comerciante, que vende acessórios para celulares no Centro Comercial Caxambú, região de comércio popular, pretende manter as portas abertas até às 19h, na espera de mais clientes. "Vamos esperar mais clientes e vamos ficar abertos até às 18h30 ou 19h da noite, esperando o povo vir pro Centro", contou. Com o dinheiro curto, alguns clientes não gostaram dos valores encontrados nesta sexta-feira. Para Adria Moreira, de 22 anos, e a mãe dela, Vanusa Moreira, de 48, os produtos ficaram mais caros do que no ano passado. Clientes não gostaram dos valores encontrados em Boa Vista. Yara Ramalho/g1 RR "Não gostei dos preços porque está tudo caro, não tem uma promoção. Eu acho que está mais caro, muito mais caro, eu gastei mais e comprei menos presentes", disse Adria. Adria não está errada. No último dia 15, a Fecomércio de Roraima analisou que por conta da inflação, o consumidor vai gastar mais e comprar menos produtos este ano. Mas por outro lado, as vendas de Natal devem bater recorde no comércio varejista em Roraima, com movimentação de aproximadamente R$ 114 milhões. O maior valor já apresentado para a data, conforme a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Comércio no Centro de Boa Vista ficou pouco movimentando nesta sexta-feira (24). Yara Ramalho/g1 RR LEIA MAIS: Vendas de Natal em Roraima devem movimentar cerca de R$ 114 milhões, estima CNC No Brasil, vendas no Natal devem cair pelo segundo ano seguido, diz CNC Para Vanusa, os produtos se tornaram mais caros por conta da pandemia da Covid-19 e as compras ultrapassaram o orçamento dela. "Esse ano foi mais caro. Acho que devido essa pandemia as coisas se tornaram mais caras, mas ano passado foi melhor. Esse não foi muito bom para o orçamento da gente não", contou Vanusa Segundo a filha, elas chegaram a encontrar produtos com bons preços, mas não foram atendidas pelos funcionários de uma loja. "Eu achei a sandália que eu queria, do preço que eu queria, mas ninguém me atendeu, não tinha ninguém pra me atender. A loja estava vazia, não tinha ninguém [clientes] na loja", contou. Por conta da experiência nessa sexta-feira, no ano próximo anos as duas contam que vão se organizar e comprar os presentes bem antes do Natal, para evitar os preços mais altos. "Esse ano que vem eu vou me organizar mais, vou tentar comprar antes de chegar [o natal], antecipado porque senão, se tornar muito caro", explicou Vanusa. Vendas aumentaram em torno de 30% em relação ao ano passado, segundo comerciantes. Yara Ramalho/g1 RR Leia outras noticias do estado no g1 Roraima.