Chamas continuam em parte de armazém que pegou fogo na Codeba

Mesmo já tendo sido controlado, bombeiros ainda fazem trabalho de rescaldo no local

Chamas continuam em parte de armazém que pegou fogo na Codeba

Arisson Marinho/CORREIO

O Corpo de Bombeiros de Salvador ainda trabalha para esfriar as chamas após o incêndio na Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), na região portuária de Salvador. Mesmo já tendo sido controlado, o fogo retornou na manhã deste sábado (16), mas está contido na parte Sul do armazém 3.  

O incêndio começou na madrugada de sexta. Nem mesmo a forte chuva que atinge a capital neste feriado interrompeu o avanço das chamas. 

Pelo menos 12 viaturas e três navios rebocadores já foram usados para tentar apagar o fogo. Os militares isolaram a área onde o fogo está contido e esvaziaram o galpão para evitar que as chamas consumissem mais celulose, que estavam armazenadas no recinto. Foram usadas retroescavadeiras e outros maquinários para a retirada das cargas (celulose) que ficaram intactas. 

Com o incêndio, parte do teto desabou e a estrutura do Galpão 3 inchou, ameaçando ruir toda a construção. Não há registro de feridos.

O comandante-geral da corporação, Adson Marchesini, informou que o Galpão 3 não tem o alvará de vistoria dos bombeiros.  Segundo ele, a companhia deu entrada com o projeto para garantir o Auto de Vistoria, mas o processo ainda está em tramitação. 

“A primeira informação que tenho é que eles estão em andamento com esse processo. Deram entrada para a aprovação do projeto, que é o primeiro passo para ter o alvará”, destacou.  Ainda de acordo com ele, o documento atesta que a edificação tem sistema pronto de combate a incêndios e “está segura para evitar  risco de perdas humanas”. 

Procurada, a Codesal informou que, com a instituição da lei de incêndio, a responsabilidade da aprovação do auto de vistoria deixou de ser responsabilidade da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) e passou a ser do Corpo de Bombeiros, que tem um setor específico para esse caso.