Cabo Frio é a última cidade do RJ a desobrigar o uso de máscaras em locais abertos e ao ar livre

De acordo com o decreto publicado nesta terça-feira (12), a medida também vale para as praças de alimentação dos shopping centers. Praça Porto Rocha, em Cabo Frio, no RJ Rodrigo Marinho/G1 A Prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, desobrigou o uso de máscaras em lugares abertos e ao ar livre e nas praças de alimentação dos shopping centers a partir desta terça-feira (12). O decreto nº No 6.823 já está publicado no Diário Oficial Eletrônico, disponível no site da Prefeitura. A cidade era a única no Estado que ainda mantinha a restrição. Segundo o decreto, a medida foi possível considerando as melhoras sucessivas no cenário epidemiológico da Covid-19 no município, "com diminuição da taxa de incidência de casos graves e óbitos, conforme Parecer da Comissão de Ações e Enfrentamento ao Covid-19, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde", além da redução da demanda por leitos de internação. O texto também altera a capacidade máxima de lotação dos bares, restaurantes e lanchonetes, localizados no interior dos shopping centers. "Os bares, restaurantes e lanchonetes, localizados no interior dos shopping centers, poderão funcionar com 100% (cem por cento) da sua capacidade máxima de lotação", diz o texto.

Cabo Frio é a última cidade do RJ a desobrigar o uso de máscaras em locais abertos e ao ar livre

De acordo com o decreto publicado nesta terça-feira (12), a medida também vale para as praças de alimentação dos shopping centers. Praça Porto Rocha, em Cabo Frio, no RJ Rodrigo Marinho/G1 A Prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, desobrigou o uso de máscaras em lugares abertos e ao ar livre e nas praças de alimentação dos shopping centers a partir desta terça-feira (12). O decreto nº No 6.823 já está publicado no Diário Oficial Eletrônico, disponível no site da Prefeitura. A cidade era a única no Estado que ainda mantinha a restrição. Segundo o decreto, a medida foi possível considerando as melhoras sucessivas no cenário epidemiológico da Covid-19 no município, "com diminuição da taxa de incidência de casos graves e óbitos, conforme Parecer da Comissão de Ações e Enfrentamento ao Covid-19, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde", além da redução da demanda por leitos de internação. O texto também altera a capacidade máxima de lotação dos bares, restaurantes e lanchonetes, localizados no interior dos shopping centers. "Os bares, restaurantes e lanchonetes, localizados no interior dos shopping centers, poderão funcionar com 100% (cem por cento) da sua capacidade máxima de lotação", diz o texto.