Búzios, 1º ano de governo: prefeito Alexandre Martins fala em entrevista do que já foi feito e próximas ações

"Alcançamos nosso objetivo. No primeiro ano de governo atingimos 25% da nossa meta de governo para os quatro anos", conta o prefeito ao g1. Saiba mais sobre as ações na Saúde, Educação, Cultura e demais áreas que impactam a vida dos moradores. Alexandre Martins (Republicanos) fala ao g1 do primeiro ano de gestão após ser eleito prefeito de Armação dos Búzios, no RJ Divulgação/Prefeitura O g1 lança, a partir desta segunda-feira (17), uma série de entrevistas com os prefeitos e prefeitas dos 50 municípios da área de cobertura do g1 Região Serrana, Norte Fluminense e Região dos Lagos. Cada prefeito (a) responde a dez perguntas sobre metas alcançadas no primeiro ano de governo, projetos e serviços públicos implementados em diversas áreas que impactam a vida da população, além de ações que ainda precisam ser desenvolvidas nos próximos três anos. As entrevistas serão publicadas ao longo da semana. O objetivo do espaço é contribuir para que os moradores acompanhem o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo gestor (a) municipal. No caso da Região dos Lagos, o g1 publica, neste primeiro dia da série, a entrevista com o prefeito de Armação dos Búzios, Alexandre Martins (Republicanos). Em novembro de 2020, ele foi escolhido por 9.451 eleitores, sendo eleito com 43,44% dos votos. Confira a entrevista abaixo: 1 - De uma forma geral, em termos percentuais, dentro do que estava estabelecido como meta do primeiro ano de governo, o quanto foi cumprido, e quais áreas foram priorizadas? Houve mudanças ou remanejamento em relação às prioridades previstas no Plano de Governo? Se sim, pode explicar quais foram as principais alterações, os motivos e como fica daqui pra frente? Sim, alcançamos nosso objetivo. No primeiro ano de governo atingimos 25% da nossa meta de governo para os quatro anos. Nossa prioridade foi a saúde: construímos o Hospital de Campanha, PU da Ferradura, duas Unidades Básicas de Saúde, reforma do almoxarifado do Hospital Rodolpho Perissé e realizamos vários projetos, que serão futuramente executados, como: UPA na Rasa, Centro de Imagem e Maternidade. Meio Ambiente: criação de duas Unidades de Conservação em Tucuns, Fundo Municipal do Meio Ambiente e iniciamos a despoluição da Lagoa de Geribá, além da implantação do Projeto Bandeira Azul na Praia do Forno. Criação da Secretaria da Mulher e do Idoso. Retorno das obras do Centro do Idoso. Segurança: criação do ROMU, Patrulha Maria da Penha, ampliação do Centro de Monitoramento. Sede da Guarda Municipal. Educação: Uma Escola pronta para inaugurar para 700 alunos (Cem Braças), uma creche (Ferradura). Realizamos o processo da primeira eleição democrática das Equipes Diretivas das Unidades Escolares Municipais. 2 - Especifique, pontualmente, quais foram os principais projetos implementados e/ou melhorias realizadas na área da Saúde neste primeiro ano de governo, como, por exemplo, visando maior conforto e celeridade na marcação de consultas e exames para a população, entre outras soluções buscando a qualidade no atendimento na Atenção Básica, urgência, internações, etc.? Ampliamos o atendimento com mais profissionais de saúde. Com a implantação da UBS de Cruzeiro e de Geribá atingimos 100% de cobertura da atenção básica. A prevenção das doenças é o melhor investimento na saúde. Também ampliamos o atendimento na Saúde Mental e fomos o primeiro município da região dos Lagos a incluir o óleo de Cannabis Medicinal na relação Municipal de Medicamentos Essenciais (Remune). 3 - Quanto à saúde financeira da cidade, que iniciativas da atual gestão podem ser destacadas? O município tinha ou tem dívida? De quanto? E foi possível saná-la ou reduzi-la com que tipo de ação, caso a cidade se encaixe nesse quadro? Sim, uma dívida de 25 milhões com a Previdência Municipal e 12 milhões com a Previdência do INSS. A municipal estamos pagando parcelamento da gestão anterior e pegamos a Búzios Previdência com 111 milhões de repasse e fechamos o ano com 150 milhões. A do INSS estamos aguardando a autorização de parcelamento. Pagamos todas as dívidas do ano de 2021 em dia, a arrecadação própria (fonte zero) subiu de 131 milhões para 167 milhões devidos algumas ações como: anistia e parcelamento de dívida, dando mais facilidades para o contribuinte pagar 4 - Neste primeiro ano, o município chegou a investir em tecnologia para melhorar o serviço em algumas áreas? Caso sim, pode especificar? Se não, pretende fazer esse tipo de investimento? Onde e qual a previsão? Conseguimos fechar o ano com a folha do pagamento em dia e ainda sobrar recursos para este ano, podemos dizer que temos uma folha de pagamento garantida. Os Royalties quero investir na infraestrutura da cidade, como saneamento básico e pavimentação. Também estamos trocando toda a iluminação da cidade por lâmpadas de LED, isso gera uma grande economia. 5 - A área da Educação passou por um grande desafio com a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia. De que forma a Prefeitura conduziu o ensino e monitorou processo

Búzios, 1º ano de governo: prefeito Alexandre Martins fala em entrevista do que já foi feito e próximas ações

"Alcançamos nosso objetivo. No primeiro ano de governo atingimos 25% da nossa meta de governo para os quatro anos", conta o prefeito ao g1. Saiba mais sobre as ações na Saúde, Educação, Cultura e demais áreas que impactam a vida dos moradores. Alexandre Martins (Republicanos) fala ao g1 do primeiro ano de gestão após ser eleito prefeito de Armação dos Búzios, no RJ Divulgação/Prefeitura O g1 lança, a partir desta segunda-feira (17), uma série de entrevistas com os prefeitos e prefeitas dos 50 municípios da área de cobertura do g1 Região Serrana, Norte Fluminense e Região dos Lagos. Cada prefeito (a) responde a dez perguntas sobre metas alcançadas no primeiro ano de governo, projetos e serviços públicos implementados em diversas áreas que impactam a vida da população, além de ações que ainda precisam ser desenvolvidas nos próximos três anos. As entrevistas serão publicadas ao longo da semana. O objetivo do espaço é contribuir para que os moradores acompanhem o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo gestor (a) municipal. No caso da Região dos Lagos, o g1 publica, neste primeiro dia da série, a entrevista com o prefeito de Armação dos Búzios, Alexandre Martins (Republicanos). Em novembro de 2020, ele foi escolhido por 9.451 eleitores, sendo eleito com 43,44% dos votos. Confira a entrevista abaixo: 1 - De uma forma geral, em termos percentuais, dentro do que estava estabelecido como meta do primeiro ano de governo, o quanto foi cumprido, e quais áreas foram priorizadas? Houve mudanças ou remanejamento em relação às prioridades previstas no Plano de Governo? Se sim, pode explicar quais foram as principais alterações, os motivos e como fica daqui pra frente? Sim, alcançamos nosso objetivo. No primeiro ano de governo atingimos 25% da nossa meta de governo para os quatro anos. Nossa prioridade foi a saúde: construímos o Hospital de Campanha, PU da Ferradura, duas Unidades Básicas de Saúde, reforma do almoxarifado do Hospital Rodolpho Perissé e realizamos vários projetos, que serão futuramente executados, como: UPA na Rasa, Centro de Imagem e Maternidade. Meio Ambiente: criação de duas Unidades de Conservação em Tucuns, Fundo Municipal do Meio Ambiente e iniciamos a despoluição da Lagoa de Geribá, além da implantação do Projeto Bandeira Azul na Praia do Forno. Criação da Secretaria da Mulher e do Idoso. Retorno das obras do Centro do Idoso. Segurança: criação do ROMU, Patrulha Maria da Penha, ampliação do Centro de Monitoramento. Sede da Guarda Municipal. Educação: Uma Escola pronta para inaugurar para 700 alunos (Cem Braças), uma creche (Ferradura). Realizamos o processo da primeira eleição democrática das Equipes Diretivas das Unidades Escolares Municipais. 2 - Especifique, pontualmente, quais foram os principais projetos implementados e/ou melhorias realizadas na área da Saúde neste primeiro ano de governo, como, por exemplo, visando maior conforto e celeridade na marcação de consultas e exames para a população, entre outras soluções buscando a qualidade no atendimento na Atenção Básica, urgência, internações, etc.? Ampliamos o atendimento com mais profissionais de saúde. Com a implantação da UBS de Cruzeiro e de Geribá atingimos 100% de cobertura da atenção básica. A prevenção das doenças é o melhor investimento na saúde. Também ampliamos o atendimento na Saúde Mental e fomos o primeiro município da região dos Lagos a incluir o óleo de Cannabis Medicinal na relação Municipal de Medicamentos Essenciais (Remune). 3 - Quanto à saúde financeira da cidade, que iniciativas da atual gestão podem ser destacadas? O município tinha ou tem dívida? De quanto? E foi possível saná-la ou reduzi-la com que tipo de ação, caso a cidade se encaixe nesse quadro? Sim, uma dívida de 25 milhões com a Previdência Municipal e 12 milhões com a Previdência do INSS. A municipal estamos pagando parcelamento da gestão anterior e pegamos a Búzios Previdência com 111 milhões de repasse e fechamos o ano com 150 milhões. A do INSS estamos aguardando a autorização de parcelamento. Pagamos todas as dívidas do ano de 2021 em dia, a arrecadação própria (fonte zero) subiu de 131 milhões para 167 milhões devidos algumas ações como: anistia e parcelamento de dívida, dando mais facilidades para o contribuinte pagar 4 - Neste primeiro ano, o município chegou a investir em tecnologia para melhorar o serviço em algumas áreas? Caso sim, pode especificar? Se não, pretende fazer esse tipo de investimento? Onde e qual a previsão? Conseguimos fechar o ano com a folha do pagamento em dia e ainda sobrar recursos para este ano, podemos dizer que temos uma folha de pagamento garantida. Os Royalties quero investir na infraestrutura da cidade, como saneamento básico e pavimentação. Também estamos trocando toda a iluminação da cidade por lâmpadas de LED, isso gera uma grande economia. 5 - A área da Educação passou por um grande desafio com a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia. De que forma a Prefeitura conduziu o ensino e monitorou processos de evasão escolar em 2021? Se houve evasão, existe uma estimativa de quantos alunos abandonaram os estudos no ano passado e o que vai ser feito a partir de agora para mudar esse cenário? A Secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, conduziu o ano letivo de forma híbrida. Nesse sentido o trabalho remoto foi organizado com produção e realização das apostilas e com a realização de avaliações diagnósticas para monitoramento do desempenho dos estudantes. Já de forma presencial, houve a retomada das aulas nas unidades escolares dentro das normas sanitárias. O monitoramento da evasão se deu por meio de ações e acompanhamento das equipes escolares e com o serviço da Busca Ativa Escolar que foi implementado no Município. Foi elaborado o Projeto Busca Ativa Escolar com o objetivo de investigar a ausência do estudante na escola e oferecer o apoio necessário em casos distintos como encaminhamento para a área de Saúde e Assistência Social. Uma equipe de funcionários realizou visitas domiciliares para averiguar o motivo da falta do discente na Unidade Escolar. Concluímos que a não frequência deu-se por motivo de mudança para outro município. Entendemos que o projeto da Busca Ativa Escolar foi exitoso e continuará como uma das ações permanentes da SEMED no combate à evasão escolar. O índice de evasão foi pequeno, de modo geral, sendo um pouco mais acentuado na EJA - Educação de Jovens e Adultos. No ano de 2022, as ações já implementadas no ano de 2021 continuarão bem como outras serão acrescentadas, como a oferta de tablets com dados móveis de internet para todos os estudantes e professores, a implantação da EJA profissionalizante, bem como a implementação do Projeto de Consolidação da aprendizagem. 6 - Em relação à valorização dos servidores públicos municipais, há ações implementadas ou a serem implementadas nessa área? Na Educação fiz o enquadramento exigido por Lei e o quinquênio. Estamos com uma comissão para a criação do PCCR para todos, além do estudo para realizar o concurso público. 7 - Que balanço o município pode fazer quanto às iniciativas nas áreas da Cultura, Meio Ambiente, Transporte público (mobilidade) e Turismo? Para um ano de pandemia a avaliação foi muito boa. Realizamos vários eventos culturais, como o Encontro de Cultura, o Festival Gastronômico que também está ligado ao turismo. A cidade teve turista o ano todo, o aumento na arrecadação é a prova disso. Fizemos uma ação para o final do ano que foi a implementação dos ônibus de turismo na entrada da cidade, onde vai ser construída a nova rodoviária 8 - Há projetos implementados não contemplados nas respostas anteriores que o prefeito gostaria de mencionar? Não estava no plano de governo o autódromo da cidade. Já começamos com a desapropriação da área e agora estamos licitando o projeto. Estamos investindo naquilo que é infinito, o turismo. O automobilismo gera empregos e turismo. O Estado do Rio de Janeiro não tem nenhum autódromo, estamos com previsão para inaugurar em 2023, então é um grande projeto. Fora a infraestrutura como um todo nas vias de acesso, e mobilidade. Tem os pontos turísticos para reformar, como os mirantes e o Mercado do Pescador na Rasa 9 - É possível dizer até cinco principais metas que a Prefeitura pretende alcançar neste o ano de 2022? Metas: Toda iluminação pública na cidade de LED, iniciar a construção do autódromo, construir a Maternidade, a UPA na Rasa e o Centro de Imagem, estrada da Fazendinha e terminar as obras que estão em andamento como: sede da Guarda Municipal, Centro do Idoso, as obras do Arpoador, saneamento básico no Capão e Cem Braças, além de alcançar pelo menos 30% de toda a rede separativa de esgoto este ano 10 - E existe uma grande causa no município, que, até o final do mandato, a Prefeitura pretende resolver ou, dependendo da complexidade, criar mecanismos que facilitem a resolução? Ou seja, existe um grande desafio ou um “calo no sapato”, de hoje ou que vem se arrastando há muito tempo no município, e que não pode mais ser ignorado? Sim, o saneamento básico da cidade. Uma cidade turística não pode ter esgoto in natura sendo jogado nas praias. Nossa estação de tratamento tem capacidade para 200 mil habitantes e somos 40 mil habitantes. Para isso criamos a Secretaria de Obra, Saneamento e Drenagem com este foco. Avançamos muito em 2021 em dois bairros, realizando a rede separativa. Em 60 dias de trabalho em Geribá, deixamos de jogar mais de cento e doze litros diários de esgoto in natura nas praias e lagoas.